Escrito em por

governo02

 

O Governo do Paraná liberou, na quinta-feira (28/09), mais um lote de recursos para compra de ambulâncias e demais veículos para o transporte de pacientes. Ao todo, são R$ 24,3 milhões que beneficiarão a população de 139 municípios paranaenses. Este é o segundo repasse de incentivos do transporte sanitário em menos de três semanas.

O secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, diz que o investimento faz parte do maior programa de ampliação e renovação da frota de veículos de uso exclusivo da saúde. Segundo ele, o Estado está garantindo melhores condições de atendimento àquelas pessoas que precisam se deslocar em busca de consultas, exames e tratamento especializado. “É mais uma ação efetiva que demonstra o caráter municipalista deste governo”, destacou.

O repasse foi feito na modalidade de transferência fundo a fundo, sem a necessidade de convênio entre Estado e prefeituras. Cada município recebeu cotas individuais de R$ 120 mil e R$ 240 mil para aquisição de carros, ambulâncias, vans e micro-ônibus. Houve também municípios contemplados com cotas de R$ 450 mil, destinados exclusivamente para compra de ônibus com mais de 40 lugares.

Caputo Neto afirma que o grande diferencial desta modalidade de repasse é que a prefeitura tem a liberdade de adquirir o veículo que melhor atende a sua necessidade. “O diálogo com os gestores municipais é uma das principais marcas do governo Beto Richa. Lembrando que tudo isso só está sendo feito graças à condição dada pelo ajuste fiscal, que possibilitou a retomada dos investimentos”, afirmou.

Há menos de 20 dias, 56 prefeituras já haviam recebido R$ 10,4 milhões do Estado, referente ao incentivo do transporte sanitário. Em outubro, novos repasses já estão previstos, sobretudo para atender demandas de obras e equipamentos para unidades de saúde, aparelhos de fisioterapia, além de um incentivo inédito para equipamentos destinados a salas de urgência e emergência.

“Estamos fazendo uma verdadeira transformação na atenção primária dos municípios. São recursos para obras, equipamentos, custeio, capacitação profissional e outras iniciativas que refletem na qualidade do atendimento público”, diz o superintendente de Atenção à Saúde, Juliano Gevaerd.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)