Escrito em por

 

Além da Campanha Outubro Rosa, a Secretaria de Saúde realiza, todos os anos, a Semana Municipal de Prevenção e Combate ao Câncer de Mama

O câncer de mama lidera o ranking, dentre os que mais afetam as mulheres. Somente no Estado do Paraná, o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva – INCA estima 3.730 novos casos por cada 100 mil habitantes, no ano de 2016. Em Pinhais, além da Campanha Outubro Rosa, a Secretaria de Saúde realiza a Semana Municipal de Prevenção e Combate ao Câncer de Mama. A iniciativa está prevista na Lei Municipal nº 617/2003, de autoria da atual vice-prefeita Marli Paulino.

Entre os dias 4 e 8 de abril serão realizadas diversas atividades alusivas à campanha. As Unidades de Saúde da Família de Pinhais realizarão a divulgação de informações sobre o câncer de mama e solicitação de mamografia para as mulheres com idade acima dos 40 anos.

Também na lista de programações haverá contação de história, com a temática “Sua vaca já foi para o brejo?”; confecção de chaveiros e a palestra como doutor Augusto Andre Marcomini, médico da Unidade de Saúde Weissópolis. Materiais informativos também serão disponibilizados, com o intuito de orientar a população.

O objetivo da ação é conscientizar e incentivar a prevenção da doença que é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil. Só fica atrás do de pele não melanoma, respondendo por aproximadamente 25% dos casos novos a cada ano. O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença.Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos.

Débora Beatriz Machado, da Seção de Políticas de Saúde da Mulher, Criança e Adolescente, destaca que o trabalho de disseminar informações e ações de prevenção do câncer de mama deve ser contínuo. “O conhecimento das formas de prevenção, principalmente, são indispensáveis para que possamos lutar contra esta doença, que infelizmente ainda acomete milhares de mulheres”, afirma Débora.

Números da doença

Para o biênio 2016-2017, de acordo com o levantamento do INCA estima-se que o Brasil tenha a ocorrência de cerca de 600 mil casos novos de câncer. Excetuando-se o câncer de pele não melanoma (aproximadamente 180 mil casos novos), ocorrerão cerca de 420 mil casos novos de câncer. O perfil epidemiológico observado assemelha-se ao da América Latina e do Caribe, onde os cânceres de próstata em homens(61 mil)e mama (58 mil) em mulheres serão os mais frequentes. Sem contar os casos de câncer de pele não melanoma, os tipos mais frequentes em homens serão próstata (28,6%), pulmão (8,1%), intestino (7,8%), estômago (6,0%) e cavidade oral (5,2%). Nas mulheres, os cânceres de mama (28,1%), intestino (8,6%), colo do útero (7,9%), pulmão (5,3%) e estômago (3,7%) figurarão entre os principais.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)