Escrito em por

entrega_recursos_governo_estadual_foto_ary_portugal-4766

Foto: Ary Portugal/PMSJP

O prefeito de São José dos Pinhais, Luiz Carlos Setim, esteve na manhã de terça-feira (2) no Palácio Iguaçu, em Curitiba, para receber do Governador Beto Richa o repasse de mais de R$ 640 mil para serem aplicados no Município.

Desse valor, R$ 200 mil serão em ações promovidas pela Vigilância em Saúde. Os outros R$ 440 mil irão para adequações do Ginásio Max Rosenmann.

A solenidade contou com a presença de diversas autoridades, entre elas o deputado estadual Francisco Bührer. Na oportunidade, o Governador autorizou o repasse de R$ 18 milhões para os 399 municípios paranaenses aplicarem em ações de saúde, através do Programa VigiaSUS.

Para o secretário municipal de Saúde, Brasilio Vicente de Castro Filho, a verba veio em uma boa hora. “É um fundo importante que fortalecerá as ações dos serviços de Vigilância em Saúde”, explicou.

O Prefeito Setim destacou a ação do Estado, “esse investimento do Governo do Paraná é único no Brasil, e é com responsabilidade que a Administração vai aplicar esse fundo no custeio de ações importantes previstas no projeto, importantes porque tratam de prevenção”, disse o prefeito.

Ginásio Max Rosenmann

Na mesma solenidade o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado e Desenvolvimento Urbano, liberou mais de R$ 440 mil, com contrapartida da Prefeitura de R$ 260 mil, para conclusão do Ginásio Max Rosenmann, que desde 2013 aguardava pelas obras de adequação, uma vez que na ocasião o Município precisou rescindir com a empresa responsável pela obra pelo não cumprimento do contrato. “É uma verba necessária que aguardávamos para poder concluir de vez todas as adequações que o Ginásio Max Rosenmann precisa passar e finalmente estar de acordo com o projeto”, explicou o secretário de Esporte e Lazer, Thiago Bührer.

VigiaSUS

O VigiaSUS é um programa estadual que visa fortalecer e qualificar as ações de Vigilância em Saúde em todos os municípios do Paraná. A Vigilância em Saúde compreende cinco áreas: Vigilância sanitária (controle de produtos e serviços de interesse à saúde); Vigilância epidemiológica (análise da situação de saúde, controle de doenças transmissíveis e não-transmissíveis) Vigilância em saúde ambiental (água, lixo, dejetos, contaminantes químicos, vetores, zoonoses e animais peçonhentos); Vigilância em saúde do trabalhador; e Promoção da saúde.

O trabalho de vigilância em saúde é exclusiva do poder público. O investimento nesta área reflete diretamente na proteção e segurança da saúde da população. Além disso, as informações levantadas pelas equipes de vigilância servem como base para o desenvolvimento de ações para prevenir e controlar doenças. No caso da dengue, por exemplo, os dados auxiliam no combate ao mosquito transmissor em áreas consideradas de risco.

Segundo o Governo do Estado a qualificação da estrutura física e de recursos humanos na área da saúde proporcionou uma série de avanços nesses últimos três anos. Por exemplo, a redução do tempo de investigação das mortes materno-infantis; a estruturação do combate à dengue, com novos equipamentos e equipe capacitada; o reforço na rede de frio, com a compra de refrigeradores especiais para vacinas e medicamentos; a informatização das salas de vacina e das ações de vigilância em saúde do trabalhador; além da modernização de laboratórios e demais serviços vinculados à vigilância em saúde.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)