Escrito em por

pinhais08

 

Do dia 22 a 27 de abril, Pinhais respirou cinema com a realização da 7ª edição do Festival de Cinema (FestCine). Promovido pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer (Semel) – Departamento de Cultura, neste ano o Festival recebeu 215 inscrições válidas de 29 cidades brasileiras de 16 estados, nos quais foram selecionadas 107 obras de diversos gêneros, entre elas: animação, comédia, terror, suspense, drama, experimental, biografia, fantasia, aventura, infantis, stop motion, documentários e clipes musicais.

O FestCine objetiva despertar e estimular o interesse da população, do público escolar e da comunidade em geral pela sétima arte. Ainda, busca contribuir com o desenvolvimento do mercado cinematográfico dando visibilidade às produções amadoras e independentes, além de ser uma forma de intercâmbio cultural entre os seus participantes.

Abertura

Na abertura do FestCine 2019, que aconteceu na noite do dia 22, no Auditório Municipal Márcio José Moro, a prefeita de Pinhais, Marli Paulino, parabenizou toda a equipe da Semel pela realização de mais uma edição do Festival, “que a cada ano melhora e sempre inova. Ficamos muito felizes em ver a visibilidade do nosso Festival no país ao receber inscrições de 16 estados. Pinhais hoje é referência para outros municípios em todas as áreas da administração e não é diferente na cultura, prova disso é a visibilidade do nosso Festival”.

A vice-prefeita Rosa Maria aproveitou a abertura para destacar a importância das artes na construção de uma sociedade melhor. “As artes ensinam, mas, acima de todas as virtudes que ela possa trazer, está a potência de humanizar, e precisamos de seres humanos melhores, de cidadãos mais sensíveis aos problemas dos outros. A cultura ensina a sermos mais empáticos e generosos. Pela cultura construímos uma cidade melhor para se viver e, vendo aqui em Pinhais a cultura ser construída em todas as suas formas, é uma felicidade muito grande. Esta é mais uma das razões que fazem a nossa cidade ser diferenciada, pois aqui se acredita que vale a pena investir na cultura”.

Para o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Elom Tiago Fagundes, é uma bela coincidência a sétima arte sendo prestigiada na sétima edição do FestCine. “O termo sétima arte para o cinema foi estabelecido por Ricciotto Canudo no Manifesto das Artes, sendo a primeira música, seguida pela dança, artes plásticas, esculturas, cênicas e literatura. Especialistas dizem que o cinema é a junção de todas as outras artes. Faço este histórico para destacar e agradecer o trabalho incrível da nossa equipe para a realização desse Festival. No momento em que gestores públicos dão pouca importância à cultura, aqui em Pinhais a nossa administração é diferente”.

A importância das artes e a visibilidade que o Festival de Cinema de Pinhais tem no cenário nacional também foi destaque nas palavras do diretor municipal de Cultura, Marcos Oliver. “Um festival que cresce a cada ano e que projeta a nossa cidade para todo o Brasil”. O diretor aproveitou a abertura para contar a história de uma professora que falou com ele perguntando sobre filmes educativos: “Toda arte é comunicação, quer expressar e ensina alguma coisa. Às vezes não tem relação com o conteúdo em sala de aula, mas sempre aprendemos com as artes”.

Filmes históricos

Ainda na abertura do FestCine aconteceu a exibição de dois filmes que fazem parte do resgate histórico do projeto de 30 anos da Fundação Weiss Scarpa, desenvolvido pelos professores Danielle Mei e José Pires. Com autoria de João Batista Groff (1897-1970), os filmes retratam o dia a dia da Cerâmica Weiss e a vida social em Pinhais na década de 1920, incluindo a visita de uma comitiva que teve entre seus integrantes o prefeito de Curitiba, Lothario Meissner, e o governador do Paraná, Manoel Ribas. Danielle Mei explicou que os rolos de filme em nitrato de 35 mm foram encontrados nos arquivos da Fundação quando estavam produzindo um livro sobre a sua história.

Prêmio Macuquinho Dourado

O evento de abertura encerrou com a premiação dos 15 ganhadores do FestCine 2019 e a entrega do Prêmio Macuquinho Dourado para:

Desenho de som – Ficção

Um Café e Quatro Segundos – Saulo Moretzsohn e Tainãn Hsu

Melhor Filme Animação

Rick com monstros nos dedos – Direção: Almir Correia

Fotografia – Ficção

Sola – Mauricio Baggio

Curta-Metragem Estudantil (com câmera de celular) e Filme Destaque Pinhais

Isabella – Direção: Gustavo Emanuel (Colégio SESI Pinhais)

Roteiro Documentário

Soccer Boys – Carlos Guilherme Vogel

Roteiro ficção

Minha mãe, minha filha – Cintia Sumitani

Direção Documentário

À Luz de Bruel – Dorotéia Werner e Silvia Gabriela

Direção Ficção

Bodas – Alexia Maltner

Clipe Musical

Aquela Avenida – Direção: Bruno Costa

Melhor Ator

Riscados Pela Memória – Antonio Pitanga, como “Velho”

Melhor Atriz

Minha mãe, minha filha – Eva Wilma, como “Dora”

Melhor Ator/Atriz Mirim

Sola – Guilherme Garcia, como “Luan”

Melhor Filme Longa-Metragem

Bando, Um Filme De: – Direção: Lázaro Ramos

Curta-Metragem Documentário

À Luz de Bruel – Direção: Dorotéia Werner e Silvia Gabriela

Curta-Metragem ficção

Bodas – Direção: Alexia Maltner

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)