Escrito em por

ratinho01

 

Medida foi oficializada pelo governador Ratinho Junior. Com o subsídio, a tarifa da capital permanecerá em R$ 4,50. Como contrapartida, serão inauguradas onze faixas exclusivas para ônibus e novas integrações com a Região Metropolitana.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior oficializou, na quinta-feira, dia 9, a transferência de R$ 40 milhões para subsidiar a tarifa do transporte público de Curitiba que, com isso, permanecerá em R$ 4,50 – abaixo da tarifa técnica, que hoje é de R$ 4,79. O repasse também inclui uma série de melhorias na mobilidade urbana da capital e entorno, como 11 novas faixas exclusivas para ônibus e as integrações de atendimento à Vila Tupy, em Araucária, e entre a cidade de Pinhais e o terminal Centenário, em Curitiba.

O governador Ratinho Junior afirmou que a capital paranaense sempre foi uma referência em transporte coletivo e que a Região Metropolitana precisa acompanhar esse ritmo de inovação e qualidade. “Nada mais justo do que o Governo colaborar para essa modernização, mas acima de tudo permitir que a tarifa fique acessível aos usuários. Temos que minimizar o impacto diário que o trabalhador tem para se locomover dentro das cidades”, afirmou.

Ratinho Junior também explicou que o subsídio é uma maneira de garantir equilíbrio no sistema. “Os custos vêm crescendo, custos com pneus, folha de funcionários, manutenção, são custos naturais, além dos novos modelos de mobilidade, o que diminui a procura. Mas esse custo fixo se mantém. Buscamos o equilíbrio para levar mais conforto para a população que usa o transporte público”, completou.

GRANDE CURITIBA

O governador anunciou, em fevereiro, investimento de R$ 150 milhões em subsídio e obras para o transporte público de Curitiba e Região Metropolitana – R$ 40 milhões na capital e R$ 110 milhões nas demais cidades.

Segundo Gilson Santos, presidente da Comec, esse subsídio reafirma o compromisso do Estado com a integração metropolitana. “Os R$ 40 milhões complementam a receita municipal para manutenção da tarifa no valor único na capital. O recurso também possibilita as novas integrações já anunciadas e novas ampliações com o transporte metropolitano”, explicou.
De acordo com o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, a Grande Curitiba avança dentro de um modelo mais sustentável.

“Fizemos um grande esforço para a volta da integração metropolitana. Isso não é possível sem a parceria do Governo. A população não pode, sozinha, pagar o custo desse grande sistema de transporte. Em todo o mundo há subsídio. O Governo se associou conosco para que a tarifa pudesse ficar no mesmo valor”, destacou.

TARIFAS

Os R$ 150 milhões do Governo do Paraná garantirão tarifa social de R$ 4,50 para capital e linhas integradas das cidades vizinhas, e valores menores no transporte metropolitano, dividido em três anéis. A prefeitura de Curitiba colocou mais R$ 50 milhões no pacote.

Para a RMC, a Comec estabeleceu reajuste médio de 3,7% nas tarifas do transporte metropolitano, abaixo da inflação dos últimos 12 meses (6,7%, pelo IPCA). O primeiro anel, formado pelas cidades vizinhas à capital (Almirante Tamandaré, Araucária, Campo Largo, Campo Magro, Colombo, Fazenda Rio Grande, Pinhais e São José dos Pinhais), terá tarifa de R$ 4,50.

No segundo (Balsa Nova, Campina Grande do Sul, Itaperuçu, Piraquara, Quatro Barras e Rio Branco do Sul), as passagens variam de R$ 4,50 a R$ 4,75. No terceiro, que engloba cidades mais distantes de Curitiba, houve congelamento de preço entre R$ 4,90 e R$ 6,50.

PRESENÇAS

Estiveram presentes na cerimônia no Parque Barigui o secretário de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas, João Carlos Ortega; o vice-prefeito de Curitiba, Eduardo Pimentel; o presidente da URBS, Ogeny Pedro Maia; o presidente do Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana, Maurício Gulin; o deputado estadual Alexandre Amaro; além de vereadores de Curitiba.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)