Escrito em por

curitiba01

 

Participando há quatro meses do projeto Nova Morada Vida Nova, Adilson Sérgio Rossetto, 54 anos, só tem elogios para os serviços ofertados pelo município para pessoas em situação de rua. Ele vive em um dos três hotéis sociais ofertados pela Prefeitura, no Jardim Botânico, onde tem acolhimento, alimentação, oportunidade de fazer cursos profissionalizantes e a chance de um recomeço.

“Se não fosse o hotel social não sei o que seria de mim. Aqui somos tratados com educação, temos quartos arejados, água quente, camas confortáveis, vários banheiros e boa comida”, disse o homem, pouco antes de ter a chance de agradecer pessoalmente ao prefeito Rafael Greca, que visitou o espaço, aberto em outubro de 2019.
Greca conheceu a unidade, conversou com os acolhidos e agradeceu pela confiança que todos depositam nos serviços do município.

“Aqui queremos mostrar que existe algo além da rua. Nós queremos proteger as pessoas e fazer com que elas superem suas dificuldades com novos momentos e oportunidades de vida”, disse Greca.

Recomeço

Rossetto, que abraçou o prefeito na chegada ao hotel, garante que a unidade oferece tudo que uma pessoa que está em situação de rua precisa para recomeçar uma nova vida. “Aqui nos dão oportunidades, começamos a ter autoestima, o que nos torna mais confiantes para sair e procurar emprego”, disse o homem que durante 28 anos trabalhou como recuperador de crédito e, no momento, depois de passar por um tratamento em função do uso de álcool, está em busca de trabalho.

Há um mês acolhida no hotel social, a ex-balconista de panificadora Regina Santos Valente, 47 anos, também conversou com o prefeito. “Adoro ficar aqui, é como a casa da gente, a família da gente”, disse.

Regina foi morar no hotel depois que perdeu o emprego e não tinha mais dinheiro para pagar a pensão onde morava. No acolhimento, teve a chance de voltar a estudar. Ela faz curso técnico de Massoterapia, no Instituto Federal do Paraná (IFPR) e já faz planos de ter um espaço próprio para morar.

Hotel social

O projeto Nova Morada Vida Nova oferece 150 vagas, em três endereços, e desenvolve ações que buscam promover a reinserção social de pessoas que estavam em situação de rua e fizeram uso de álcool ou outras drogas. É resultado de uma parceria das secretarias municipais da Defesa Social e Trânsito, por meio do Departamento de Política Sobre Drogas, da Saúde e da Fundação de Ação Social (FAS).

Cada unidade atende 50 pessoas diariamente, todas encaminhadas pelos Centros de Referência Especializados para População Em Situação de Rua (Centros Pop), da FAS. Assim que alcança a autonomia, o hóspede sai do projeto, dando lugar para outra pessoa.

Nos hotéis sociais os acolhidos têm local para dormir, tomar banho, se alimentar e se preparar para o mercado de trabalho. A unidade do Capanema tem refeitório, sala de TV, biblioteca, terraço e quartos femininos, com banheiro privativo. Todos têm acesso à rede de wi-fi.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)