Escrito em por

curitiba01

 

Curitiba ganhará mais 23 Faróis do Saber e Inovação nos bairros, anexos às escolas municipais, em 2019. O anúncio foi feito, na quinta-feira (13/12), pelo Prefeito Rafael Greca, durante a abertura da Exposição de Trabalhos e projetos desenvolvidos nos nove primeiros Faróis do Saber que foram transformados em espaços maker.

Desde a inauguração do primeiro Farol do Saber e Inovação, em março de 2017, mais de 9.500 estudantes já participaram de atividades inovadoras, além de 550 professores e mais de 600 moradores.

“Temos a obrigação de criar o futuro. Não podemos existir só para o nosso tempo. Ao percorrer o itinerário dos Faróis vemos que acertamos”, disse o Prefeito Rafael Greca.

O prefeito percorreu os estandes, conversou com professores responsáveis pelas oficinas de aprendizagem criativa nos Faróis, observou a produção dos curitibinhas e destacou a vocação de Curitiba em provocar inovação.

“A inovação está no DNA de Curitiba. A primeira universidade do Brasil nasceu aqui, em 1912, o primeiro Instituído de Pesquisa e Planejamento Urbano (Ippuc) do País, foi criado aqui, em 1965, os Faróis do Saber nasceram em 1993 e os Faróis do Saber e Inovação em 2017. Agora, abriremos o nosso primeiro fab lab público, que funcionará na Rua da Cidadania do Cajuru”, anunciou Greca.

Sobre a qualidade dos projetos desenvolvidos, o prefeito destacou como as produções superaram as expectativas da equipe que, junto com ele, elaborou o projeto. Esta transformação estava prevista no plano de governo da gestão. Os Faróis do Saber foram criados na primeira gestão de Greca como prefeito e agora passaram a oferecer novas possibilidades.

“A biblioteca que se renova. É muito importante olhar o futuro. O mundo está deixando de ser agrícola, está ficando totalmente urbano, as profissões estão se reinventando e temos que dar aos nossos curitibinhas, que estão nas escolas e os que ainda vão nascer, novas oportunidades de formação”, disse o prefeito.

Caderno dos Faróis do Saber e Inovação

Durante a exposição, a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, entregou ao prefeito o primeiro exemplar do Caderno dos Faróis do Saber e Inovação, lançado durante o evento. O material reúne relatos de experiências realizadas nos Faróis do Saber e Inovação.

“Curitiba é uma cidade educadora por vocação. Nossos estudantes têm a condição de viver uma educação disruptiva e completamente inovadora”, disse Maria Sílvia. “O prefeito nos provoca a pensarmos na inovação como lição diária e estamos construindo essa história junto com nossos professores e com nossos 17 mil estudantes do Ensino Fundamental”, disse a secretária.

O Caderno conta a história dos Faróis do Saber, a transformação para a nova fase, como espaços para aprendizagem criativa e a cultura maker. Também apresenta a proposta com os novos equipamentos como as impressoras 3D e programas de computação. Também reúne metodologia, a diversidade de experiências, práticas que estão sendo desenvolvidas, tipos de oficinas e materiais usados.

“São experiências que revelam as potencialidades de aprendizagens que os espaços e a criatividade sem limites de professores e estudantes apresentam”, disse a coordenadora de Tecnologias Digitais e Inovação, Estela Endlich.

Skate inclusivo

Estão compilados no Caderno, que servirá para inspirar novos projetos entre a comunidade escolar, o protótipo construído por estudantes da Escola Municipal Professor Herley Mehl, no Farol Manuel Bandeira, para evitar que formigas destruam sementes e folhas de árvores frutíferas; o skate inclusivo dos estudantes da Escola Municipal dos Vinhedos, criado no Farol do Saber Dante Alighieri e o mascote João Curitibinha, criado no Farol do Saber Fernando Amaro, pelos estudantes da Escola Municipal CEI José de Alencar Furtado, para trabalhar cidadania entre as crianças.

Também estão descritos no Caderno os circuitos de papel e o jogo de tabuleiro sobre Curitiba, dos Estudantes da Escola Municipal Papa João XXIII, criados no Farol Rocha Pombo; as Portas da Gentiliza, dos estudantes da Escola Municipal Rio Nego, no Farol do Saber Rubem Braga, o material de divulgação do Sítio Arqueológico de Curitiba, elaborado no Farol do Saber Mário Quintana, pelos meninos e meninas da Escola Municipal Wenceslau Braz.

O processo de criação do robô contador de histórias, criado no Farol do Saber Herbert José de Souza, por estudantes da Escola Municipal Marumbi; os personagens do projeto Narrativas Assustadoras, dos estudantes da Escola Municipal São Mateus do Sul, no Farol do Saber José de Alencar e o guindaste hidráulico desenvolvido pelos estudantes da Escola Municipal Dona Pompília, no Farol de mesmo nome.

Tanto o material apresentado no Caderno, quanto o que está em exposição, diz a superintendente de gestão Educacional, Elisângela Mantagute, destacam a importância do alcance das práticas desenvolvidas nos Faróis do Saber. “As oficinas são abertas às comunidades expandindo para os moradores dos bairros as múltiplas possibilidades de aprendizados e descobertas que são oferecidas para os estudantes da rede”, disse Elisângela.

Os Faróis do Saber e Inovação foram abertos, um em cada regional da cidade. A Matriz ganhou o Laboratório Pedagógico de Inovação (Lapi), na sede da Secretaria Municipal da Educação que funciona como espaço maker, uma oficina de criatividade e criação de protótipos para beneficiar principalmente os servidores da Educação e os estudantes da regional Matriz, além da comunidade.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)