Escrito em por

curitiba02

 

A Prefeitura de Curitiba inaugurou, na quarta-feira (22/7), a Casa Irmã Dulce, no Tatuquara. A nova unidade, que conta com 26 leitos de enfermaria, será voltada ao atendimento de casos clínicos.

A unidade faz parte das ações para ampliação da assistência hospitalar, destinando o maior número possível de leitos ao tratamento de casos de coronavírus, conforme Plano de Contingência para Respostas às Emergências em Saúde Pública do Município de Curitiba.

“Ao abrir esta porta, peço a Deus que abra, também, as portas para vida”, disse o prefeito Rafael Greca, que participou da inauguração ao lado da secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

Cerca de 80 profissionais vão trabalhar na unidade. São médicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, farmacêuticos e assistentes administrativos.

A equipe e as instalações receberam a bênção do padre José Aparecido, que representou o arcebispo metropolitano de Curitiba, Dom José Antônio Peruzzo. O nome da unidade é uma homenagem à religiosa brasileira canonizada em 2019 pelo papa Francisco.

Pós-pandemia

Concebida como unidade de estabilização psiquiátrica, a Casa Irmã Dulce ampliou seu alcance de atendimento devido à pandemia.

“Quando tudo isso passar, a casa vai seguir atendendo bem à comunidade curitibana”, afirmou a secretária Márcia Huçulak.
A Prefeitura de Curitiba já ampliou 748 leitos para atender exclusivamente a pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19. São 325 leitos de UTI e 423 leitos clínicos.

Bairro Novo

Administrada pela Fundação Estatal de Atenção à Saúde (Feas), órgão da administração indireta da prefeitura, a Casa Irmã Dulce vai assumir o atendimento realizado pelo Centro Médico Comunitário Bairro Novo.

Com isso, o atendimento no Bairro Novo passará a ser exclusivamente para casos de Covid-19. A ampliação traz 30 novos leitos clínicos para o atendimento de pacientes infectados em Curitiba.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)