Escrito em por

pinhais09

 

Irmãs Ana e Helena, de 13 anos, são conhecidas como as “gêmeas corredoras”

Apesar da pouca idade, as irmãs gêmeas Ana e Helena estão conquistando bons resultados e vitórias no atletismo. As jovens têm 13 anos e são moradoras de Pinhais, do bairro Emiliano Perneta.

As “gêmeas corredoras”, como são conhecidas, se inspiraram nos quenianos, o povo mais veloz do planeta, para alcançar as primeiras posições e subirem ao pódio. Inclusive, chegaram a conhecê-los durante a uma visita ao centro de treinamento na cidade de Santa Barbara do Oeste (SP), onde estiveram com alguns atletas que participaram da prova de São Silvestre.

A paixão pelo atletismo nasceu por acaso. A história iniciou em uma viagem, onde o pai delas resolveu comprar um computador em uma loja e levou as filhas. Durante as compras, Ana acabou se perdendo, e apesar do susto, a família a encontrou em frente a um televisor assistindo a uma prova de atletismo. Neste momento, Ana falou que gostaria de fazer atletismo. O fato aconteceu há seis anos, na época as meninas tinham sete anos e desde então começaram a se preparar para o esporte.

Ana e Helena começaram a disputar provas da categoria infantil em cidades de Santa Catarina: Tubarão, Braço do Norte, entre outras. Elas foram se destacando e começaram a participar de provas de adultos, convidadas pela Associação de Corredores Cortuba.

Hoje, Helena é campeã paranaense de atletismo nos jogos disputados em Apucarana. Com a conquista, a jovem atleta vai disputar o campeonato brasileiro representando o estado do Paraná e a cidade de Pinhais nos Jogos Escolares que acontecem em novembro, no município de Blumenau (SC).

Atualmente, elas estudam na 8ª série do Ensino Fundamental em um colégio de Pinhais. De manhã, vão para a escola, e à tarde treinam, em média, cinco vezes na semana. Ana fala que a rotina não é cansativa, porque gostam bastante do que fazem. “A gente consegue conciliar os treinamentos com a escola. É bem divertido, pois o esporte ajuda a pensar melhor e a se desenvolver. É bem interessante, pois a gente estuda, treina e no final dá tudo certo”, diz a jovem.

O pai das meninas, Anderlin Júnior, que também cuida da carreira delas, diz que a carreira de atleta exige bastante, mas que elas trabalham com muita dedicação. “Em nosso país é bem difícil ser atleta. A gente tem todo um cuidado, um controle na alimentação e cuidados com a saúde. Tudo isto fui aprimorando com o longo do tempo, buscando entender como é a formação de um atleta. Com o decorrer da carreira delas, foram surgindo várias pessoas que foram auxiliando, e foi possível entender este processo. Hoje já se passaram alguns anos e vendo estas conquistas delas, pra nós, é uma realização”, enalteceu Anderlin.

Além do talento, as meninas também foram destaques por uma atitude durante uma prova, onde cruzaram a linha de chegada de mão dadas conquistando um lugar ao pódio. É com este espírito de união que Helena afirma que elas querem crescer juntas, não competir entre si e correr em busca de um mesmo sonho. “O nosso objetivo é evoluir e crescer na carreira. A intenção é nos tornarmos atletas olímpicas, e futuramente, participar de alguma olimpíada. A gente sempre será unida. Embora uma chegue à frente, pra nós é como se as duas tivessem ganhado”, disse.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)