Escrito em por

Imagem-247d81cf4ae7eac705042a3371fd7be0

Foto: Massao Ishida

Na semana marcada pelo Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes (18 de maio), Campina Grande do Sul reforçou a luta contra estes crimes com ações preventivas. Na terça-feira (19), estudantes de 5º ano da rede municipal assistiram a uma peça de teatro e palestras que, de forma lúdica e interativa, transmitiram orientações sobre como eles podem se proteger.

A atividade, realizada no Teatro Municipal, foi organizada pelo Conselho Tutelar em parceria com o Hospital Angelina Caron e teve o apoio do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e do Centro de Referência em Assistência Social (Cras) e Secretaria Municipal de Educação.

O grupo teatral, que faz parte do Programa de Humanização do Caron, fez uma representação do conto de fadas Chapeuzinho Vermelho. Por meio de metáfora, estiveram representados a vítima, o agressor e a pessoa de confiança a quem a criança recorre.

O presidente do Conselho Tutelar, Airton de Oliveira, enfatizou que este mês, conhecido como “Maio Amarelo”, é uma oportunidade de chamar a atenção e mobilizar toda a comunidade em torno da luta em defesa dos direitos da criança e adolescentes. “É um momento para reforçar a sensibilização de toda a população para que denunciem casos suspeitos, fazer com que nossas crianças e jovens entendam o que é abuso sexual e, principalmente, como podem se proteger”.

O evento ainda contou com a presença dos secretários José Luiz Nichele (Desenvolvimento Social), Janete Assunção (Assuntos da Família), do coordenador municipal de Ordem Pública, Marcos Scheremeta, da coordenadora do Programa de Humanização do Caron, Beatriz Paternoster, além de representantes da Polícia Militar e da Guarda Municipal.

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi instituído pela lei federal 9.970, de 17 de maio de 2000. A data faz referência à morte da menina Araceli, de oito anos, que foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada por jovens de Vitória (ES). O crime aconteceu em 18 de maio de 1973 e, apesar de hediondo, prescreveu impune.

Denúncias

No Brasil o “Disque 100”, criado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, é um serviço de recebimento, encaminhamento e monitoramento de denúncias de violência contra crianças e adolescentes em todo o país. Os dados mostram que, de março de 2003 a março de 2011, foram recebidas 52 mil denúncias de violência sexual contra este público, sendo que 80% das vítimas são do sexo feminino.

O Disque 100 funciona diariamente de 8h às 22h, inclusive aos finais de semana e feriados. As denúncias são anônimas e podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem direta e gratuita para o número 100 ou pelo endereço eletrônico [email protected]

As denúncias também podem ser levadas diretamente ao Conselho Tutelar de Campina Grande do Sul, que fica na Rua Telêmaco Crisóstomo da Silva, 127, na sede. Os telefones são: 3676-8091 e 9115-2307 e o e-mail, [email protected]

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)