Escrito em por

por Dr André Fuck || www.programaact4.com.br

act4 PB

Muito se ouve falar que as doenças da tireoide, em especial o Hipotireoidismo, levam a ganho de peso. No consultório atendo pessoas com essa dúvida diariamente, muitas delas querendo fazer exames ao menos para descartar essa possibilidade e outras, já com o diagnóstico, querendo saber como perder peso tendo Hipotireoidismo. Mas o que de verdade existe nisso e o que é mito?

Os hormônios tireoideanos (T3 e T4) são importantes reguladores do metabolismo. Uma série de funções do organismo precisam do estímulo deles para acontecer de forma mais acelerada, incluindo a termogênese (produção de calor, que consome energia). Então é em função disso que acreditamos que a falta dos hormônios pode acarretar em um pior consumo de calorias e até um ganho de peso, o que em parte é verdade.

Porém, nosso sistema de homeostase energética localizado no Hipotálamo, ao perceber um consumo menor de calorias pelo corpo, também acaba reduzindo nosso apetite para tentar manter o peso, sem que a gente perceba. Isso acaba fazendo com que, mesmo com um metabolismo mais lento, mantemos o peso ou ganhamos um pouco, mas muito pouco. Estudos já comprovaram que, mesmo em casos de Hipotireoidismo descompensado, o ganho de peso atribuído a este fato chega a no máximo 2-3kg, e sobretudo atribuído à retenção hídrica (inchaço), que resolve com o tratamento. Também existe um maior acúmulo de gorduras, porém, de pequena quantidade.

Agora, um fato importante é que, se quisermos emagrecer, precisamos que o problema seja resolvido. Para uma perda de peso efetiva com dieta, exercícios e outras medidas comportamentais, o metabolismo basal precisa “jogar à favor” e para isso devemos estar suficientes de hormônios tireoideanos (além de outros também).

Resumindo, não devemos culpar a nossa Tireoide em função de um ganho de peso recente ou de longa data. A investigação de doença tireoideana, em especial o Hipotireoidismo, pode fazer parte de uma avaliação geral de uma pessoa com sobrepeso ou obesidade. Porém, qualquer que seja a alteração na glândula, o problema da tireoide é apenas um detalhe, a ponta do iceberg de um problema que está muito mais ligado ao ambiente, ao estilo de vida e à genética do indivíduo.

André Ricardo Fuck
Endocrinologista e atua em diversas áreas da especialidade, incluindo as doenças tireoideanas. No programa ACT4 trabalha com enfoque maior no tratamento clínico e multidisciplinar do sobrepeso e obesidade

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)