Escrito em por

curitiba01

 

Em 2019, a Prefeitura garantiu uma conquista importante para os moradores da Regional Boa Vista: a retomada das obras do Lote 4.1 da Linha Verde.

“É uma alegria ver o recomeço da obra da Linha Verde. Não se trata de uma obra simples. É um trabalho complexo e a cidade está fazendo um grande esforço para terminar”, apontou Greca.

O Lote 4.1 é o trecho final da Linha Verde e liga as estações Solar e Atuba, nos limites entre Curitiba e Colombo. O trecho tem 2,84 quilômetros e a previsão é de que as obras durem cerca de 24 meses. O prefeito lembrou do empenho feito para garantir os recursos para a Linha Verde.

“Neste trecho serão investidos mais de R$ 70 milhões e trabalhamos muito para manter o financiamento federal e da Agência Francesa de Desenvolvimento nesta obra tão importante para Curitiba”, disse Greca.

Neste reinício, o trabalho se concentrou na escavação da galeria celular que dará estrutura para as novas pistas do trecho norte da Linha Verde.

Asfalto

Formada pelos bairros Pilarzinho, São Lourenço, Taboão, Abranches, Cachoeira, Barreirinha, Boa Vista, Santa Cândida, Tingui, Bacacheri, Atuba e Bairro Alto, a região abriga aproximadamente 248.698 habitantes.

A Prefeitura fez implantação de asfalto ou requalificação do pavimento em 56 ruas da regional, numa extensão de 21,5 km.

Demandas atendidas

A participação da população nas decisões garantiu avanços significativos aos bairros em 2019, como a ampliação do horário de atendimento na Unidade de Saúde Jardim Aliança, a implantação do programa Comunidade Escola em mais duas unidades, construção de ciclovias, expansão de linhas de ônibus, implantação de novo ponto para o programa Câmbio Verde, entre outras realizações.

Manutenção urbana em dia

O serviço de manutenção da Prefeitura foi constante em 2019. De janeiro a novembro deste ano foram feitos 1.305.871 metros quadrados de roçadas, área oito vezes maior que o Parque Bacacheri. No mesmo período, os serviços de drenagem totalizaram 11.102 metros, enquanto as operações tapa-buraco foram executadas em 411.787 metros em ruas de pavimento rígido e conservação em 40.011 metros em ruas de saibro.

“A maioria das intervenções aconteceram atendendo à solicitação dos moradores”, diz a administradora da regional Boa Vista, Janaína Lopes Gehr.

Modernização da iluminação pública

A Prefeitura tem investido fortemente para modernizar o sistema de iluminação pública da cidade. Nesse ano, ficaram mais iluminadas ruas do Bacacheri, Atuba, Santa Cândida e Pilarzinho, contempladas com a substituição de 2.063 luminárias de vapor de sódio por modelos de LED, que garantem mais claridade e economia.

Parques, praças e ciclovias também ganharam nova iluminação e estão mais seguros para o lazer e práticas esportivas das famílias. Foram instalados 279 pontos de iluminação em locais como os parques Nascente do Rio Belém, Parque Linear Pilarzinho, Tanguá, Barreirinha, Jardinete Landivio Tschoelke, Praça Coronel Adélio Conti e o Eixo de ciclovia da Praça Anna Maurer Rutz.

Investindo nas pessoas

Os Liceus de Ofícios ofereceram 1.812 vagas em cursos de qualificação profissional. De janeiro a setembro, 7.547 famílias foram atendidas nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), que são a porta de entrada para os serviços da FAS.
No mesmo período, 1.489 pessoas com direitos violados foram atendidas nos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

Atendimento à saúde

As 19 unidades de saúde da regional realizaram 237.194 consultas médicas, 119.706 consultas com enfermagem e 200.962 procedimentos odontológicos, entre os meses de janeiro a setembro. No mesmo período foram distribuídos 29.812.278 medicamentos para a população. Na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Boa Vista foram realizados 164.086 atendimentos de emergência.

Nova sede para o CRAS

O Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Bairro Alto ganhou novas instalações para atender com mais qualidade 2,4 mil famílias da região.

Localizado na Rua Jornalista Alceu Chichorro, 323, ao lado de Liceu de Ofícios, agora funciona em um prédio construído especialmente para servir como ponto de apoio às pessoas em situação de vulnerabilidade social, na Regional Boa Vista.

Curitibinhas poliglotas

Este ano, 22 escolas municipais passaram a oferecer o Programa de Língua Estrangeira, com aulas de inglês e espanhol, como extensão de carga horária para os curitibinhas e as escolas Pilarzinho e CEI Augusto César Sandino foram incluídas no programa Comunidade Escola. Agora as duas abrem aos sábados para atividades de educação, cidadania, esporte, recreação, empreendedorismo e geração de renda da comunidade.

O Programa Escola Bem Cuidada recuperou e revitalizou unidades escolares que aguardavam havia anos por obras e melhorias. São exemplos as escolas municipais Theodoro de Bona, no Santa Cândida, e Cerro Azul, no Tingui. A primeira recebeu melhorias no telhado e no estacionamento, a outra, ganhou gradil para substituir o muro e em breve ganhará quadra coberta. A construção já teve início.

Fim dos alagamentos

Obras de drenagem aconteceram pelos quatro cantos da região norte dando fim aos alagamentos que eram constantes. Um exemplo é a ligação de galeria de água pluvial na Rua Percy Feliciano de Castilho, no Bairro Alto.

Também para conter as cheias foram iniciadas obras de dragagem nos lagos do Parques São Lourenço e General Iberê de Matos, o Parque Bacacheri.

Prefeitura nos bairros

Audiências públicas, como os programas Fala Curitiba e Prefeitura nos Bairros, além de solicitações através do 156, resultaram em várias melhorias para a população.

Exemplos deste relacionamento estão por todos os lados. A comunidade solicitou e já foi atendida na implantação de uma ciclovia no Conjunto Abaeté, no Boa Vista, entre as ruas Carlota S. Araújo e Vicente Geronasso, acompanhando a margem do Rio Bacacheri, passando pela Praça Anna Maurer Rutz, no Boa Vista.

O espaço para caminhadas, passeios de bicicleta e outras práticas esportivas tem 380 metros de extensão, com 1, 5 metro de largura. A área também ganhou nova iluminação e paisagismo.

As integrantes da Associação de Moradores Mãos Amigas do Abaeté, que apresentaram a solicitação em audiência pública, Sandra Guérios e Conceição Godói Saporetti, moradoras da região, comemoram a conquista. “Superou nossa expectativa, tanto pela qualidade dos serviços quanto na agilidade do atendimento. Fomos contemplados com espaço para cuidar da saúde e segurança”, diz Sandra.

Também foi para atender a comunidade que a cancha do Jardinete Vicente Laginestra, na Rua João Ivanoski, no Conjunto Solar, no bairro Tingui, recebeu obra de drenagem. Agora os curitibinhas podem treinar futebol e brincar à vontade porque o local não alaga mais.

Ligando a região metropolitana

No Santa Cândida, uma ponte de madeira foi construída sobre um córrego na Rua Thereza Lopes Skroski, na divisa com Almirante Tamandaré, e garantiu acesso com segurança e conforto aos moradores dos conjuntos habitacionais Aroeira IV, V e VI ao município vizinho. Antes da ponte ou os moradores se arriscavam em uma passagem perigosa ou precisavam caminhar por vários quilômetros para se deslocar de um município ao outro, separados pelo córrego.

“Estamos satisfeitos por termos sido ouvidos e valorizados em relação ao que apresentamos como prioridade local. A ponte nos garantiu o acesso seguro das pessoas que transitam por aqui”, diz Fabiano Ribeiro Vieira, síndico dos residenciais Aroeira V e VI e liderança do bairro.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)