Escrito em por

pinhais05

 

O atendimento é realizado pela equipe multiprofissional de residentes em saúde durante o período da pandemia

A pandemia do novo coronavírus provocou uma situação repentina para a população que teve a necessidade de se adaptar a uma nova realidade. O risco de contrair a doença obrigou todos a fazerem o isolamento social, seguir recomendações e adotar medidas de segurança. Neste novo contexto, a pandemia não afeta somente a rotina cotidiana, mas também, a saúde mental, em especial, a dos profissionais da área da saúde. Esses trabalhadores estão entre os principais grupos de risco da Covid-19. Por estarem em maior exposição ao vírus, podem se desgastar emocionalmente, ter estresse, entre outras questões psicológicas.

Com o objetivo de dar apoio aos profissionais de saúde de Pinhais, diante da pandemia da Covid-19, a Escola de Saúde Pública do Paraná, por meio do programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental, trouxe para o município o projeto “Cuidando de quem cuida”. A iniciativa conta com o apoio da prefeitura municipal, por meio da Secretaria de Saúde.

Iniciado no mês de abril, o “Cuidando de quem cuida” disponibiliza um serviço de atendimento telefônico e whatsapp para dar apoio emocional aos servidores da saúde. O atendimento é realizado pela equipe multiprofissional de residentes em saúde mental da Escola de Saúde Pública do Paraná, que conta com duas psicólogas, duas enfermeiras, uma farmacêutica, uma terapeuta ocupacional e um assistente social. Visando ampliar o projeto, foi implantado o atendimento presencial para fazer o trabalho de escuta, acolhimento e dar orientações sobre saúde mental. As ações acontecem nas Unidades de Saúde Básica, SAMU, Unidade de Saúde da Mulher e da Criança e demais equipamentos da rede municipal de saúde. As atividades do projeto são realizadas em um espaço aberto, com distanciamento entre os participantes, seguem regras de segurança e acontecem de acordo com um cronograma.

A equipe multiprofissional do projeto, composta pelas residentes Bruna Maria Stoski (psicóloga) e Ida Vaz Machado (enfermeira), realizaram os trabalhos na Unidade de Saúde da Família Jardim Karla.

A residente Bruna Maria Stoski diz que este é um momento onde os participantes se soltam e gera a compreensão com os colegas de trabalho. “Este é um espaço onde os profissionais podem falar aquilo que estão sentindo. Onde a gente pensa neste sentimento e estuda uma forma de lidar com ele, de fazer este enfrentamento. A ideia é proporcionar um espaço onde se sintam a vontade. E o resultado está sendo positivo”, explicou.

O projeto “Cuidando de quem cuida” tem sido uma ferramenta que ajuda os próprios profissionais a desenvolver estratégias. A residente Ida Vaz Machado comenta que a troca de experiência faz com que todos percebam que cada um é um instrumento para ajudar o outro neste momento da pandemia. “A gente percebeu que um ao ajudar o outro fortalece a equipe e a deixa mais coesa. Mesmo unidades de saúde diferentes, há pontos em comum que estão passando. O resultado positivo é que as equipes têm, dentro delas, ferramentas para lidar com este sentimento, e às vezes, nem percebiam. Por isso é importante perceber neste momento para identificá-lo. Porque embora esteja com ele, a saúde mental está em dia. Afinal, este sentimento é esperado, devido à situação que vivemos”, disse.

A técnica em enfermagem da USF Planta Karla, Farlene Souza Eugenio, diz que a pandemia trouxe uma nova situação para o setor da saúde. Ela afirma que o programa foi ótimo para os servidores e o bate papo é positivo, afinal permite conhecer melhor os colegas e a ter um olhar mais atencioso com o próximo para ajudá-lo. A enfermeira diz que o programa realmente cuida dos profissionais da saúde, assim como os servidores cuidam da população, por isso ela dá um conselho. “Este é um momento que exige paciência, não precisa criar pânico. Pode demorar, mas vai passar. Nós temos que aprender com isso e a ter novas rotinas. Se fizermos tudo corretamente, vai acabar mais rápido. Tenhamos consciência que é necessário usar máscara, álcool em gel, tomar todas as precauções, e só saia de casa, se precisar. Se todo mundo fizer sua parte, tudo isto vai acabar e todos nós estaremos bem e saudáveis”, afirmou.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)