Escrito em por

curitiba01

 

Ao lado da primeira-dama Margarita Sansone, o prefeito Rafael Greca recebeu, nesta quinta-feira (28/6), no Palácio 29 de Março, representantes da Câmara de Vereadores para formalizar a devolução de R$ 20 milhões para o município. O recurso faz parte da economia que o Legislativo conseguiu fazer do orçamento no primeiro semestre. Na ocasião, também foram assinados convênios para o restauro de 176 documentos históricos da Câmara pela Fundação Cultural de Curitiba e para prorrogação do contrato de gestão da contratação de estagiários do legislativo pela prefeitura.

“Eu digo muito obrigado pela devolução desses recursos, que serão usados na semaforização, melhorias nas condições de trabalho da guarda municipal; conservação dos bairros; e nas calçadas, que não são uma obrigação municipal, mas que vamos melhorar o acesso principalmente a creches a escolas, postos de saúde, e nas ruas que estão sendo revitalizadas”, disse o prefeito.

Greca afirmou ainda que os recursos vão ajudar a cumprir a promessa de entregar uma cidade melhor, mais bela e mais justa à população.

Essa é a terceira vez que a Câmara de Vereadores devolve recursos para o município na atual gestão. No ano passado foram R$ 41 milhões em duas etapas.

Economia

“O Legislativo está focado na economicidade dos recursos”, disse o presidente da Câmara, Sergio Bueno Balaguer (o Serginho do Posto). O montante de economias é resultado da revisão de contratos, renegociação de despesas e redução de gastos com pessoal, que chegam a R$ 7,6 milhões, e a devolução de um duodécimo, que é o repasse orçamentário do Executivo, de R$ 12,4 milhões.

Restauro

Durante o evento, a Fundação Cultural também formalizou o assinatura do Termo de Cooperação Técnica para conservação, pela Casa da Memória, de 176 documentos históricos da Câmara de Vereadores. O objetivo é fazer a catalogação, digitalização, tratamento de imagens, inserção de imagens em sistema, inclusão de link, indexação, higienização, acondicionamento e guarda provisória de documentos históricos, além de exposições e publicações de interesse comum nas áreas de história, patrimônio histórico e artes. A duração do trabalho é de 24 meses. “Com isso, Curitiba passa a ser a única cidade do País a preservar integralmente sua memória”, disse o prefeito. “Uma cidade que quer ser moderna também tem que aprender a ser moderna”, afirmou Greca.

De acordo com a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina Castro, os documentos abrangem período de 1649 a 1937, como Atas da Câmara de 1649 a 1930; Livros de Audiência, livros de registros de ordens militares, de naturalização, cópias de leis municipais entre outros. “O objetivo é que a população tenha acesso a documentos históricos da cidade”, disse Ana Cristina.

Estagiários

A Prefeitura também renovou por mais um ano o contrato de gestão de 124 estagiários com a Câmara.

O Instituto Municipal de Administração Pública (Imap) já tem contrato de seis meses e agora esse convênio será renovado por mais um ano. Os contratados são dos níveis médio, técnico e superior.

Ao total o Imap faz a gestão de 1630 estagiários no município. O presidente do instituto, Alexandre Jarschel de Oliveira, conta que a intenção é fazer a gestão de estagiários em outras esferas fora do município, além do Legislativo. “Para o Imap é interessante porque gera um recurso que pode ser reinvestido no treinamento dos próprios funcionários do município”, diz ele. Por mês, os contratos de estágio geram uma arrecadação de R$ 100 mil para o Imap.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)