Escrito em por

pinhais04

 

Neste ano o tema foi a Formação Cidadã e Afirmação dos Direitos Humanos por Meio da Educação Multicultural

Pensar, tratar e discutir a diversidade de raça, crença e gênero é uma das constantes preocupações da Prefeitura de Pinhais, que neste ano realizou a 8ª edição do Seminário Municipal da Diversidade, com a temática Formação Cidadã e Afirmação dos Direitos Humanos por Meio da Educação Multicultural. Voltado aos profissionais da educação, acadêmicos e interessados no tema, o Seminário aconteceu nos dias 23 e 24 de maio, no Cenforpe, e foi realizado pela Secretaria Municipal de Educação, pelo Fórum Permanente de Educação e Diversidade Étnico-Racial do Município de Pinhais e em parceria com a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

No dia 23, quinta-feira, após cerimonial de abertura, aconteceu a palestra: Negritude e Mestiçagem no Caminho da Construção da Identidade Negra no Brasil com Kabenguelê Munanga. No dia 24, sexta-feira, pela manhã, após a troca de experiência entre os participantes, teve Mesa Redonda sobre o “Desafio Cotidiano e a Percepção dessa Diversidade”. À tarde, o filósofo Ivo Tonet palestrou sobre o tema “Educação e a Emancipação Humana”, seguida da palestra “Preconceitos nos Espaços Escolares: Desconstruções”, com Eliane Maio.

Abertura

A abertura do Seminário teve a mesa composta pela vice-prefeita de Pinhais, Rosa Maria; a vereadora Professora Cinéia que representou a Câmara Municipal; Débora Zanchettin representando o Núcleo de Educação Área Metropolitana Norte; a secretária municipal de Educação, professora Andrea Franceschini; representante da Comissão Permanente da Diversidade da Rede Municipal de Ensino de Pinhais, professora Solange do Rocio Penna; o coordenador do Fórum Permanente de Educação das Relações Étnico Raciais de Pinhais, Valdo Mello; o coordenador da Associação Cultural de Negritude e Ação Popular (ACNAP) e membro da Comissão Executiva do Fórum Estadual da Diversidade, Paulo Borges; e a assessora da pró-reitora de Relações Empresariais e Comunitárias da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Tamara Simone Van Kaick.

Para a vice-prefeita Rosa Maria “somente por meio do debate sobre a diversidade é que realmente teremos uma educação com mais qualidade e uma sociedade melhor e com mais respeito em todas as suas dimensões. Em Pinhais temos esse cuidado de trabalharmos a diversidade com as crianças dos nossos Centros de Educação Infantil, pois construir uma sociedade melhor cabe a nós. Neste fórum temos pessoas que querem um mundo melhor e uma sociedade mais justa, para que todas as diferenças e especificidades sejam respeitadas”.

Valdo Mello aproveitou a abertura para lembrar do primeiro Seminário com poucas pessoas e hoje com bastante gente nova. “Foi uma sementinha plantada e agora estamos colhendo os frutos”. Paulo Borges também destacou o crescimento do Seminário, e acrescentou: “É muito importante discutir a diversidade. É a possibilidade que a sociedade tenha um entendimento de como se dá as relações entre pessoas. Aqui em Pinhais isso acontece porque se tem vontade política. Nada acontece se o gestor não abrir as portas para fazer acontecer”.

Tamara Van Kaick, lembrou a parceria entre a UTFPR com a Prefeitura que dura nove anos e que trouxe muitos bons frutos. Sobre o tema, “a maior riqueza do país é o nosso diferencial. Passamos por muitas mudanças internacionalmente falando, vamos ser exemplo e modelo, pois muitas soluções para os problemas futuros vêm da diversidade”. Ela falou ainda sobre a valorização do professor e da educação pública em Pinhais. “Parabéns pela gestão em proporcionar essa troca de experiência entre pessoas. Pinhais é um exemplo, muito honrada, e mostra que é possível ter uma educação pública gratuita, de qualidade e preocupada com a formação do cidadão do futuro”.

A secretária municipal de Educação, afirmou que os dois dias foram de muito aprendizado. “Precisamos estar sempre sensibilizando. Somente pela educação vamos conseguir avançar e tornar nossa sociedade mais justa. Esse é o nosso sonho, que os profissionais de educação tem todos os dias quando levantamos para irmos ao trabalho. É fazermos o bem especialmente para aqueles que precisam, e transformar a sociedade em que estamos inseridos”.

A representante do Núcleo de Educação destacou a sua admiração por Pinhais, “um município que sempre está um passo a frente, buscando ações importantes dentro de uma educação com qualidade e um atendimento humanizado para a sua população. Mesmo com as adversidades, onde a sociedade enfrente momentos de dificuldade no que tange situações humanas e de respeito ao próximo, em Pinhais ações como este Seminário fazem toda a diferença para a nossa cultura e na educação de nossas crianças”.

Professora Cinéia falou da necessidade de “contaminar” a sociedade com boas ações e levar o respeito para com o próximo. “Quando se fala de diversidade, se fala em respeito, se fala em entender o outro. No seminário encontramos pessoas tão especiais que estão aqui para contaminar. Diversidade é isso, entender que a cultura do outro realmente tem muito valor, não importa a crença, língua ou cor. A diferença é que faz a diferença, quando todos entendermos isso teremos um mundo mais feliz”.

Para a apresentação da temática do Seminário, Solange Pena apresentou alguns objetivos do evento: “Pela inteligência dos estudantes; Pela diversidade étnica; Pelos direitos indígenas; Contra os cortes na educação; Pela liberdade de imprensa; Por mais educação e menos armas; Por Paulo Freire, patrono da nossa educação! Assim esperamos que, na busca por novos saberes, nos possibilitem um olhar para o outro sem crítica”.

Antes da palestra, o grupo de dança clássica de Pinhais, da Escola de Dança, realizou a apresentação da trajetória da cultura brasileira, contada por meio do gesto, da música e da dança, mostrando o dia a dia de uma tribo indígena dos pataxós antes da chegada de Pedro Álvares Cabral, passando pelo primeiro contato com os portugueses e culminando com a escravidão dos indígenas pelos portugueses.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)