Escrito em por

piraquara01

 

Piraquara foi selecionada entre os projetos inscritos no Edital 2019 – Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos do Ministério do Meio Ambiente

Na quarta-feira, dia 12 de fevereiro, em solenidade realizada no Palácio do Planalto em Brasília, o prefeito de Piraquara, Marcus Tesserolli, o Marquinhos, assinou junto com o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, e o ministro de Meio Ambiente, Ricardo Salles, o convênio para a implantação de uma Usina de Reciclagem de Resíduos da Construção Civil no município.

Piraquara foi selecionada entre os projetos inscritos no Edital 2019 – Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos do Ministério do Meio Ambiente, em parceria com o Conselho Federal Gestor do Fundo de Defesa de Direitos Difusos. O projeto de Piraquara obteve nota 83 e foi classificado em quarto lugar, entre os 21 municípios brasileiros contemplados.

“A maior parte do território de Piraquara é de proteção ambiental e a implantação da usina será mais um instrumento de preservação. Ficamos felizes pelo reconhecimento do Ministério de Meio Ambiente em relação ao projeto técnico apresentado pelo município, que sem dúvida resultará em uma usina referência no Paraná”, destacou o prefeito Marquinhos.

Além da implantação da usina, o projeto prevê a instalação de três pontos de entrega voluntária de resíduos – Áreas de Transbordo e Triagem, que receberão material de pequenos geradores. Os postos serão instalados na Vila Macedo para absorver material das regiões da Vila Militar e Santa Mônica, no Guarituba atendendo todo bairro e na área central atendendo as demais regiões.

Para colocar a usina em funcionamento, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente tem mantido reuniões com as outras secretarias envolvidas e no mês de fevereiro as áreas de Direção e Financeiro participarão de uma capacitação junto ao Ministério de Meio Ambiente, em Brasília.

“Com a usina queremos diminuir ou acabar com o descarte irregular de resíduos da construção civil no município. São materiais que causam impactos ambientais graves, servem de abrigo a animais peçonhentos, vetores de doenças e causam poluição visual. Também vamos economizar recursos com limpeza e reaproveitar o material processado em obras públicas”, explicou o secretário de Meio Ambiente, Juliano Ribeiro, que também participou da solenidade.

O investimento é de R$ 2.599.752,95 com contrapartida de R$ 26.000,00 do município e faz parte do Programa Lixão Zero da Agenda Nacional de Qualidade Ambiental Urbana.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)