Escrito em por

por Vanessa Martins de Souza

Marcinho destaca importância da participação dos pais no aprendizado dos filhos durante retomada da atividade escolar

vereador marcinho

O presidente da Câmara Municipal de Pinhais, vereador Marcinho (PSD), valorizou o trabalho das equipes da Secretaria Municipal de Educação, entre a secretária Andréa Franceschini, pedagogos, professores e diretores de escola, além de outros, por promoverem a adaptação do ensino da melhor forma possível, neste período em que as aulas presenciais estão suspensas. No início de junho, a secretaria retomou as atividades da rede municipal de ensino de forma não presencial.
As escolas disponibilizaram aos alunos um material pedagógico desenvolvido de forma específica para o momento, com “bloco de atividades”, um material impresso com conteúdo pedagógico para ser realizado pelas crianças em casa.

Marcinho destacou que professores, educadores, pedagogos e diretores de escolas, estão trabalhando constantemente com as equipes da secretaria para desenvolver o material, distribuí-lo e acompanhar o ensino dos alunos, que passam a estudar em casa. A secretaria também disponibilizou um canal de comunicação para que os professores fiquem à disposição a fim de sanar dúvidas dos alunos, bem como orientá-los. O cronograma de ensino foi elaborado dentro da base curricular de cada ano ou etapa escolar, abrangendo nove áreas do conhecimento. “Em tempos de crise, os desafios surgem maiores, e a Secretaria de Educação tem revelado muito empenho, criatividade, capacidade de adaptação e competência para buscar formas alternativas de ensino, sem prejuízo à grade curricular de cada série ou etapa. A expectativa é a de que os pais ou responsáveis fiquem muito mais próximos dos alunos, acompanhando mais de perto o aprendizado, o que se revela um ideal sempre buscado mesmo em condições normais de ensino. A participação dos pais sempre foi muito importante. Este é o momento de praticá-la com mais afinco, acompanhando o aprendizado dos alunos, incentivando-os e motivando-os. Sabemos que é um desafio grande aos pais, também, pois precisam trabalhar fora e ao chegar em casa realizar as tarefas domésticas. Mas, será uma excelente oportunidade para darem mais atenção ao desenvolvimento e aprendizado das crianças. Futuramente, fará toda a diferença essa dedicação maior. A educação de qualidade sempre foi prioridade desde a gestão do Luizão. E constatamos, agora também, na gestão da prefeita Marli, que os esforços continuam os mesmos para que essa qualidade seja mantida e nenhum aluno seja prejudicado, apesar das dificuldades por conta da pandemia”, valorizou.

 

Vereador Binga enfatiza necessidade de preservar empresas e empregos durante a pandemia do novo coronavírus

vereador binga

O vereador Binga (CIDADANIA) foi enfático na tribuna ao defender a manutenção do funcionamento do comércio e serviços. Reafirmou que a população precisa trabalhar para sua sobrevivência. “É simples defender fechamento de comércio. Mas, sem demagogia, isso é inviável. Teremos eleições no final do ano, e acredito que governantes que determinam fechamento radical do comércio irão receber uma desagradável resposta nas urnas. O prefeito Greca receberá a resposta nas urnas com essa postura de querer voltar a fechar igrejas, academias e parte do comércio e serviços. O fato inegável é que o povo precisa de dinheiro, precisa trabalhar. Não são nos locais de trabalho, no comércio e serviços, na academia, no bar, na sorveteria, onde o risco de contágio é maior. Este risco maior está no transporte público. Tentar impedir a população de fazer festas e churrascadas dentro de casa é inviável a um país democrático como o nosso. Acredito que o transporte público é o maior vilão do contágio. Fico triste com a morte do pastor. Mas, sabemos que estimativas apontam a morte de 100, 120 mil brasileiros por Covid-19. No início, já comentávamos sobre essas estimativas. E entre esses milhares, poderão estar alguns de nossos conhecidos ou familiares”, considerou.

Riscos no transporte público

Quanto ao transporte público, lembrou que reuniu vereadores para abordar a prevenção dentro dos ônibus do transporte público, buscando expor o problema junto à Comec (Coordenação da Região Metropolitana). “Arrumei uma pendenga. Na hora, já me telefonaram. Mas, com ônibus lotados todos os dias, apinhados de gente, fica impossível controlar a pandemia. O povo precisa de transporte público para trabalhar. Temos quase 210 milhões de habitantes no país. Será muito difícil escapar do contágio. Mais cedo ou mais tarde, a maioria acabará contraindo o vírus. Enquanto não chegar a vacina, será difícil escapar do contágio. A questão é o tempo que as pessoas levarão para contrair o vírus. Se muita gente pegar ao mesmo tempo, faltarão leitos hospitalares. Os testes rápidos para detectar o vírus não têm 100% de garantia de acerto. Podem dar falso positivo ou falso negativo. O teste oferecido pelo SUS, sim, é 100% garantido, aquele que leva mais tempo para sair o resultado e retira-se secreção da boca ou nariz. Assim, temos de tomar todo cuidado para evitarmos nos infectar e infectar outras pessoas. Não vejo possibilidade de lockdown, de fechar tudo. Poucas pessoas morreram de Covid-19 em Pinhais. Desde o início da pandemia, já falei à vice-prefeita Rosa Maria, pedindo cautela no fechamento do comércio. Meu filho também falou o mesmo para a prefeita. Meu partido está 100% com a prefeita Marli, mas não posso deixar de falar sobre essa cautela com o comércio, lembrando também da necessidade de educação à população para que se conscientize da adoção de todas as medidas sanitárias a fim de evitar o contágio”, finalizou.

Palavras “radicais”

Nas Explicações Pessoais, voltou à tribuna para pedir desculpas por palavras “radicais” ao defender o comércio e empresários. “Desculpem-me se fui radical com as palavras no discurso anterior. Nas redes sociais, comentaram que estão fazendo velórios no meu espaço. Sempre estarei à disposição para ajudar. No momento, não tenho como conseguir álcool gel e máscaras, conforme me pediram. Mas, sempre que puder, farei o meu melhor para ajudar”, desculpou-se.

 

Vice-prefeita Rosa Maria ressalta que gestores públicos encontram-se entre a “cruz e a espada”

rosa maria

A vice-prefeita Rosa Maria (Republicanos), em visita à Casa, durante a sessão em plenário da terça-feira (16), discursou ao final dos trabalhos pontuando a homenagem aprovada pelo Poder Legislativo à professora Luciane de Almeida Neves, por iniciativa do vereador Arnaldo do Vizinho Solidário: a Medalha do Mérito do Magistério. “Visito, hoje, esta Casa durante a sessão por conta da homenagem à professora Luciane, a quem conheço há anos. Uma educadora das mais competentes e, agora, empreendedora, tendo feito lanches maravilhosos para vender. Parabéns, professora, por esta justa homenagem. E parabéns, vereador, pela sensibilidade. Pessoas como você, Luciane, fazem a diferença na qualidade do nosso ensino. Aliás, o nosso Ideb deste ano deverá continuar no mesmo elevado patamar, pois nossa educação continua com muita qualidade em cada unidade de ensino. Na verdade, o Ideb acontece no quinto ano, com a Prova Brasil. Porém, é lá na Educação Infantil que tudo começa, investindo-se na qualidade desde o início” pontuou.

A vice-prefeita ainda lembrou do grande trabalho da professora Gisele Rosa, também uma grande profissional da educação, de muito comprometimento, competência e dedicação. “Uma grande alfabetizadora e, hoje, gestora competente da Unidade José Brunetti. É motivo de muita alegria contar com o trabalho dela”, elogiou.

Ao falar da alegria de comparecer à Casa, reiterou seu grande aprendizado em sua passagem como vereadora, antes de assumir uma secretaria municipal e, depois, a vice-prefeitura. “Passar por aqui, ampliou meus horizontes. Foi um grande presente passar por aqui antes de ir para o Poder Executivo. Aprendi muito nesta Casa. Tenho imenso respeito pelo Poder Legislativo”, exaltou.

Sólida parceria com o Poder Legislativo

Rosa agradeceu pela sólida parceria do Poder Legislativo com a gestão do Poder Executivo. “Esta Casa tem sido muito parceira da prefeitura. Se temos tantas obras, isso tem muito a ver com essa parceria com os vereadores. Sem a aprovação da Casa, nada seria possível. Os vereadores têm demonstrado que divergências políticas são menores que as obras, o desenvolvimento da cidade. Nosso objetivo é o compromisso com a população de trabalharmos muito pelo município”, salientou.

“Entre a cruz e a espada”

O momento muito difícil da pandemia, em que gestores encontram-se entre a “cruz e espada” foi ressaltado. “Seguimos o crivo da saúde, do Ministério Público. É com muita dor no coração saber que não podemos abrir tudo, normalmente. Sabemos que, por detrás dos bares, das academias, há famílias que são mantidas por estes negócios. Concordo que o momento é delicado. Há letalidade nesse vírus, sim, que age de formas diferentes em cada pessoa. Estamos com um avanço grande do contágio, porém, com um número alto de recuperados. Ficamos muito felizes quando sabemos que diminuíram pacientes de Pinhais nas UTIs. Temos monitorado todos os dias. Não está tudo bem, temos de fazer a nossa parte e contarmos com vocês, vereadores, representantes do povo, que são a voz da população para um esclarecimento sobre a situação da pandemia. Jamais deixaremos de atender aos comerciantes, a quem quer que nos procure, mesmo que seja para termos de dizer um “não”, colocou.

Relatos extremamente dramáticos sobre pacientes de Covid-19 são reais, lembrou, a exemplo da morte do pastor Valmir Leal. “Meus sentimentos aos familiares do pastor, uma pessoa muito nobre, que deixou um legado extraordinário à cidade. Muito triste. Também estimo melhoras à esposa do vereador Airton Silva. Estamos num momento ainda em que há pessoas que não estão se dando conta do que está acontecendo. Mas, quando acontece uma morte, um caso de pessoa perto de nós, ficamos assustados. É preciso cuidar, sim. Toda prudência é necessária. Temos pessoas que não se dão conta do perigo. O sistema de saúde não conseguirá dar conta de atender a todos infectados ao mesmo tempo. Não há vacina, ainda. Não há medicamentos, não há cura. Por isso, o distanciamento social com todas as medidas sanitárias recomendadas é necessário, a exemplo do uso de máscara, de álcool gel. E se alguém verificar uma pessoa que não esteja usando corretamente a máscara, se tiver intimidade, peça com carinho, por gentileza que a utilize corretamente, ensinando-a”, recomendou.

Aprendizados com a pandemia

A vice-prefeita complementou que a doença veio para ensinar às pessoas muitas coisas. “Nos ensinar a darmos uma parada, a refletir, veio para dar uma balançada em tudo. Vamos retirar muita coisa de saldo positivo dessa pandemia”, avaliou.

Educação à distância

Os educadores do município foram parabenizados por estarem trabalhando muito na adaptação do ensino à distância. “Quero agradecer e parabenizar aos nossos educadores por estarem ralando muito, produzindo material de qualidade para os alunos. A Secretaria de Educação fez todo o material impresso, e tem repassado para cada aluno. Se a família não puder vir buscar, o pessoal da equipe de servidores tem entregado no endereço do aluno. O ensino à distância é um trabalho remoto, porém, necessário. Pois, este ano letivo não pode ser perdido. Temos de minimizar os impactos da pandemia. O que tem sido de mais positivo é verificar que as famílias nunca estiveram num nível de acompanhamento da vida escolar de seus filhos como agora.

Também nunca se viu tanta solidariedade entre as pessoas. Avanços na tecnologia estão mais acelerados, por conta das necessidades impostas. A tecnologia está tendo de se reinventar muito rapidamente na crise. A ciência, a tecnologia e a educação estão em evidência, também. Seguimos as recomendações da ciência, que quando diz que determinadas coisas vão acontecer, elas vão. Por isso, qualquer governante deve valorizar muito a educação, a ciência e o desenvolvimento tecnológico. Precisamos continuar muito com os cuidados sanitários. Não podemos também negligenciar o Ministério Público, que tem essa prerrogativa de fazer recomendações. Estamos sempre à disposição dos empresários, comerciantes para esclarecer todas as situações. Lembrando, ainda, que as obras não pararam na cidade, continuamos trabalhando em todas as secretarias. A Marli sempre disse que nossa cidade é muito abençoada. Creio que a palavra dessa pandemia é ‘prudência’. Cuidem-se e quem puder, fique em casa. Se Deus quiser, isso vai passr. Mas não é uma gripezinha. Contudo, também não vamos deixar de viver. Porém, adotando todos os cuidados sanitários”, ressaltou.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)