Escrito em por

pinhais02

 

Entre pequenas cirurgias, encaminhamentos para cirurgia vascular, além de consultas e exames de fonoaudiologia, ortopedia, reumatologia e oftalmologia, foram 2.234 agendamentos

Com o objetivo de diminuir a fila de espera de pacientes que aguardavam pelo atendimento de algumas especialidades médicas, a Prefeitura de Pinhais realizou a quinta edição do Mutirão de Saúde. Entre pequenas cirurgias, encaminhamentos para cirurgia vascular, além de consultas e exames de fonoaudiologia, ortopedia, reumatologia e oftalmologia, foram 2.234 agendamentos.

Para promover o Mutirão de Saúde, a Secretaria Municipal de Saúde contou com contribuição do Consórcio Metropolitano de Saúde do Paraná (COMESP) para contratação de alguns profissionais, além da atuação de médicos do município.

Durante estas cinco edições, milhares de pessoas tiveram suas demandas resolvidas por meio destas grandes ações, que envolvem profissionais parceiros, e conta especialmente com o trabalho das equipes de saúde de Pinhais. “Mesmo não sendo esta uma responsabilidade do município, ao promover os mutirões contribuímos de maneira expressiva para a redução do tempo de espera para milhares de pacientes. Isso só é possível de ser colocado em prática graças ao compromisso da Prefeitura de Pinhais e parceria com demais instituições”, ressalta a prefeita de Pinhais, Marli Paulino, que ao lado da vice-prefeita Rosa Maria, acompanhou a ação.

A secretária de Saúde de Pinhais, Adriane da Silva Jorge Carvalho, destaca o quão importante são os Mutirões de Saúde. “Desde o início nosso objetivo foi de agilizar o atendimento dos pacientes que aguardavam na fila para especialidades. A cada edição buscamos resolver um tipo de demanda, desta vez nosso foco foi o atendimento de oftalmologia”, complementa a secretária.

Adriane também explica que a responsabilidade direta no município é o acesso dos pacientes para atendimentos médicos na atenção primária, com profissionais da Estratégia da Saúde da Família, na modalidade de Clinica Geral. “Este profissional faz a triagem, identifica a necessidade do encaminhamento para toda e qualquer especialidade, e direciona para e vem Central de Marcação de Consultas”, detalha. Portanto, os agendamentos e disponibilidade de vagas fica sob responsabilidade do Governo do Estado. “Porém, identificamos que alguns pacientes acabam esperando por muito tempo e, então, desde 2017, inclusive como meta do Plano de Governo, implantamos o mutirão para reduzir o tempo de espera para algumas especialidades”, completa Adriane.

Viviane Aparecida Fernandes aguardava desde 2015 por uma consulta com cirurgião vascular. “Depois de tanto tempo, espero que aconteça a cirurgia. Até então eu não sabia que as consultas são dirigidas pelo Estado, e o município está fazendo isso para que adiante essas consultas”, declarou a paciente.

Já Hilary da Paz Pereira, de 13 anos, precisava de um atendimento oftalmológico. “Percebi que precisava quando começaram a embaçar as letras na escola. Fui no posto de saúde e eles me deram encaminhamento. O atendimento foi muito bom e vai me ajudar bastante, e também foi perto da minha casa e ficou muito mais fácil”, afirmou.

Faltas

É importante ressaltar que as pessoas que aguardam por atendimento devem comparecer às consultas, pois além de adiar ainda mais a espera, acaba prejudicando o acesso de outras pessoas ao serviço de saúde. Somente nesta edição, dos 2.234 pacientes agendados, 1.362 foram atendidos durante os 16 dias da ação. Destas faltas algumas ocorrem por não haver mais a necessidade, mas a maioria acaba não comparecendo ou avisando no dia anterior que não irá, o que impossibilita a readequação da agenda. “É extremamente importante que as pessoas compareçam à consulta, pois ainda temos muitas abstenções. Quando alguém falta, impede que outra pessoa seja atendida”, afirma a secretária Adriane.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)