Escrito em por

fazenda-rio-grande-01

 

Hospital instalado ao lado da UPA 24 Horas, em Fazenda Rio Grande, está garantindo mais segurança a todos usuários do sistema de saúde

Com ações pontuais e emergenciais, a Prefeitura de Fazenda Rio Grande, seguindo políticas públicas estabelecidas pela administração do prefeito Marcio Wozniack na oferta de bons serviços públicos para a população e em virtude da pandemia, orientada por profissionais da saúde, agiu rapidamente para garantir mais tranquilidade a população, com estrutura capacitada para atendimento.

Entre as muitas ações, destaque principal para a instalação do Hospital de Campanha GM Aldair José Stempinhaki, instalado ao lado da UPA 24 Horas, em Fazenda Rio Grande, que está garantindo mais segurança a todos usuários do sistema de saúde, essa nova estrutura conta com leitos, salas de sutura, consultório médico, salas de serviço social, observação, posto de enfermagem, totalizando 35 salas entre leitos e áreas de atendimentos.

Uma unidade criada logo após o início da pandemia, quando se registraram os primeiros casos do Covid-19, teve ainda como finalidade de liberar a UPA para atendimento exclusivo aos casos de coronavírus (respiratórios), deixando os casos clínicos sendo tratados no Hospital de Campanha.

O diretor-geral da UPA, Wheverton Teixeira, avalia que uma das principais vantagens do hospital é que foi “uma resposta rápida da gestão, que garantiu e está garantindo aos nossos usuários mais segurança, evitando o contato de suspeitos de Covid-19 com os clínicos”, disse.

A diretora-técnica Letícia Manzano, ressaltou o avanço alcançado também no atendimento e triagem. “Temos profissionais capacitados que direcionam os atendimentos e evitam, dessa forma, qualquer tipo de aglomerações”, avaliou.

Sandro Rogério Pereira Abreu, 46 anos, acompanhou sua mãe, Tereza Abreu, 71 anos, durante consulta no hospital. Ela estava com dores no rim e Sandro ficou ao seu lado durante o período em que esteve no local.

“Foi um atendimento muito bom, ela foi bem atendida e principalmente, ficamos seguros por causa da separação dos prédios, sem o risco de contaminação pelo Covid-19. Ela recebeu a atenção e atendimento de enfermeiros e profissionais. Felizmente tivemos um bom resultado”, comentou.

Para Wheverton, a criação do hospital também “teve impacto positivo nos números baixos de contaminação, pois a ação foi rápida e diminuiu os riscos de infecção cruzada”, comentou.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)