Escrito em por

pinhais05

 

O projeto foi criado em 2009 e, atualmente, atende aproximadamente 1.300 famílias cadastradas nos CRAS

O projeto “Horta no Quintal de Casa” estimula as pessoas a cultivarem e a consumirem alimentos orgânicos. A iniciativa, há dez anos, beneficia a vida de milhares de moradores do município que produzem uma diversificação de alimentos.
Promovido pela Secretara de Desenvolvimento Econômico, por meio do Departamento de Agricultura e Abastecimento, o projeto foi criado no ano de 2009 e, atualmente, atende aproximadamente 1.300 famílias que estão cadastradas nos Centros e Referência de Assistência Social (CRAS).

Os participantes recebem duas vezes ao ano a entrega de adubo e hortaliças. O diretor do Departamento de Agricultura e Abastecimento, Silvio Lindes, explica que as famílias recebem no primeiro semestre, devido a ser um período de temperaturas mais baixa, em média 7 mudas. Já no segundo semestre, a quantidade é ampliada para 13. São entregues diversos tipos de mudas, dentre elas alface, almeirão, brócolis, coentro, couve-flor, escarola, orégano, pepino, quiabo, repolho, rúcula, tomate, entre outras.

Uma equipe do projeto faz a visita e orienta sobre a forma correta de fazer o canteiro, o melhor local no terreno para plantar, realiza a entrega de material informativo aos participantes, dá informações, orientações e, ainda, faz um trabalho referente à questão dos resíduos orgânicos, incentivando o aproveitamento de materiais da cozinha para adubar a terra.

Na opinião do morador do Maria Antonieta, o encanador Agenor Pagane, o projeto é muito bom. Ele, desde 2010, participa da iniciativa. “Sempre gostei de plantar no quintal de casa. Pra gente mudou porque comemos tudo sem agrotóxico, é tudo natural. A muda fornecida pela prefeitura é de qualidade. O importante é irrigar. Se não tem água da rua, eu uso a do poço. Eu chego até a doar para algumas pessoas. Quando tenho bastante couve-flor, eu tiro e dou para os vizinhos. Faço também isso com as outras hortaliças e incentivo as pessoas a terem uma horta”, ressaltou Agenor.

Já para o aposentado Raul Modesto, de 80 anos, ter uma horta em casa é um trabalho prazeroso. Ele a e esposa, Maria, de 75 anos, estão desde o início do programa e destacam que tem de tudo no quintal. “Quem mexe na horta é eu e a minha esposa. Eu gosto de meter a mão na terra. É bom porque ajuda a economizar também, pois tiramos tudo daqui. Inclusive, chegamos até a dar para o pessoal da família. Eu mantenho esta horta o ano inteiro, e por isso, tenho várias ferramentas: a pá, cortadeira, enxada. O bom é que tem alface, cebolinha, almeirão, beterraba, couve. A gente tem de tudo”, disse.

O diretor do Departamento de Agricultura e Abastecimento, Silvio Lindes, destaca que a iniciativa traz inúmeros benefícios às pessoas. “Neste projeto, além da melhor qualidade de vida, no sentido de ter uma disposição maior, tem a questão de se trabalhar com a terra. Acaba sendo uma terapia ocupacional. Temos relatos de pessoas que se curaram de depressão em função de trabalhar fazendo sua horta, mexendo na terra. Além do benefício da saúde do corpo, tem também a saúde financeira, gerando economia e, principalmente, a pessoa ter a oportunidade de comer um alimento de qualidade”, afirmou.

Serviço

Para mais informações sobre o projeto “Horta no Quintal de Casa”, procure o Departamento de Agricultura e Abastecimento, localizado na Rua América do Sul, 682, no bairro Centro, telefone 3912- 5089.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)