Escrito em por

Rafael Greca

 

Segundo o Prefeito, foi preciso muito trabalho e planejamento para reverter a situação econômica

No balanço dos resultados do primeiro ano de gestão, o Prefeito Rafael Greca destacou várias ações aplicadas para a recuperação econômica e social de Curitiba.

“A superação e a volta da gestão foram a grande obra da prefeitura este ano: colocamos Curitiba de volta aos trilhos”, disse.

“Graças a Deus e a esforços muitíssimo grandes conseguimos não apenas resolver os problemas herdados: pudemos alavancar projetos importantes, como o Saúde Já e a redução da fila na Saúde, voltamos a ter financiamento para grandes obras que serão tocadas em 2018, nosso Vale do Pinhão avança… Curitiba volta a ser Curitiba”, destacou Greca.

Planejamento

Segundo Greca, foi preciso muito trabalho e planejamento para reverter a situação econômica. “No início do ano, rombo de R$ 2,1 bilhões no Orçamento, dívidas de R$ 1,2 bilhão, bairros abandonados, serviços à beira de fechar, medicamentos em falta, obras e manutenção paradas, fornecedores insatisfeitos, salários sob risco, desleixo com o transporte público, planejamento inexistente… Uma Curitiba quase apagada”.

O atual momento, depois de quase 12 meses de gestão, é positivo para o Prefeito de Curitiba. “No fim do ano, um Natal repleto de luzes, que iluminam não apenas a celebração cristã, mas ilustram a superação por que passou a capital nos últimos 12 meses: manutenção dos bairros de volta, medicamentos em dia, restabelecimento da gestão responsável e com controle dos gastos, obras retomadas, protagonismo, dívidas sendo pagas, renovação dos ônibus em andamento… Uma cidade que não só resolve seus problemas, mas também avança. Confira aqui como foi o avanço da Prefeitura por áreas em 2017”.

Conquistas

Greca disse ainda que houve conquistas em todas as áreas administrativas e em todas as regiões da cidade. “O ano, que começou comigo tirando as cracas e ranços de sujeira das nossas ruas e praças, felizmente termina com 3,3 mil quilômetros de ruas que receberam tapa-buracos e mutirões de serviços em cinco regionais – as outras cinco receberão no começo do ano que vem –, além de várias outras ações”, exemplifica Greca.

Para contornar a crise, Greca destacou ainda que foi necessário tomar uma série de medidas importantes, que exigiram urgência ao longo do ano – como foi o caso, por exemplo, do Plano de Recuperação de Curitiba.

“Nem sempre todas nossas medidas foram bem compreendidas. Muita gente gosta de reclamar sem avaliar os problemas com mais atenção”, afirma. “Mas é minha responsabilidade tomar as decisões com base naquilo que é o melhor para o conjunto da população curitibana; os resultados apareceram de forma muito clara.”

Novo crescimento

Greca avaliou também, ao superar tais dificuldades, “que agora a cidade vai se desenvolver melhor”.

“Sou o prefeito para fazer Curitiba voltar a crescer da forma como a população estava acostumada”, frisou.

 

Veja avanços deste ano

Gestão Fiscal

Há um ano: Déficit orçamentário de R$ 2,1 bilhões; dívidas de R$ 1,2 bilhão.

Hoje: Pagamento feito a 800 fornecedores; Orçamento para investimentos dobrado; R$ 409 milhões para grandes obras em 2018; melhor gasto público entre as capitais; um das três únicas capitais onde o investimento público cresceu.

Governo Municipal

Há um ano: Curitiba isolada e perdendo recursos de projetos.

Hoje: A cidade retomou o protagonismo e o relacionamento institucional; evitou a perda de recursos federais; os financiamentos voltaram: R$ 120 milhões só para ruas de saibro; liberação de R$ 99 milhões para Linha Verde, terminais Tatuquara e Vila Oficinas e Trincheira da Mario Tourinho. Transparência e respeito com o funcionalismo.

Manutenção da Cidade

Há um ano: Nenhuma equipe para tapa-buraco, roçadas e limpeza de bueiros e galerias; praças abandonadas.

Hoje: 87 equipes nas ruas; 3,3 mil Km de tapa-buracos; 22 praças recuperadas; nova iluminação nas ruas, parques e ciclovias.

Obras

Há um ano: Obras paradas ou quase paradas.

Hoje: R$ 278 milhões em obras em andamento: 62 ruas com recuperação do asfalto; usina de asfalto reaberta.

Saúde

Há um ano: Déficit de R$ 237 milhões; falta de medicamentos e atraso no repasse aos hospitais.

Hoje: R$ 1,7 bilhão investido no setor. UPA do Tatuquara aberta; fila de exames zerada no Laboratório Municipal; mutirões atenderam 173 mil pessoas nas especialidades médicas; 313 novos leitos de retaguarda; estoque de remédios regularizado; aplicativo Saúde Já implementado; Mãe Curitiba reestruturado; seis novas ambulâncias e 26 novos veículos no Samu.

Transporte público

Há um ano: Desintegração com a Região Metropolitana; fundo de Transporte com buraco de R$ 5 milhões; ônibus velhos.

Hoje: Reintegração de linhas com a RMC beneficia 60 mil passageiros; fundo de Transportes com saldo de R$ 42 milhões; compra de novos ônibus iniciada; projeto-piloto para integração temporal das passagens.

Defesa Social

Há um ano: Insegurança.

Hoje: Balada Protegida em ação; 35 novas viaturas; equipamentos renovados.

Assistência Social – FAS

Há um ano: Abandono.

Hoje: O dobro de vagas para curso profissionalizantes: 12 mil; 676 novas vagas para moradores de rua; 20 mil abordagens para atender população de rua; 63 mil refeições servidas no Expresso Solidariedade; 730 mil peças de roupas, calçados e cobertores doados.

Mutirões da Cidadania

Há um ano: Não existiam na cidade.

Hoje: Realizado em cinco regionais, fizeram mais de 200 mil atendimentos de serviços para a população.

Habitação Popular

Há um ano: Cohab com veto da Certidão de Tributos Federais.

Hoje: Obras retomadas; 11% mais contratos adimplentes; 494 moradias em construção.

Direitos Humanos

Há um ano: Pouca ação.

Hoje: Ampliação dos serviços na Casa da Mulher Brasileira de Curitiba; 1.250 pessoas com deficiência atendidas com transporte especial; 50 casos de discriminação sexual atendidos; 3ª Conferência Municipal da Igualdade Racional realizada.

Educação

Há um ano: CMEIs fechados; falta de pessoal.

Hoje: R$ 4 milhões para reforma de escolas e creches; 110 professores contratados; dois CMEIs abertos; quatro Faróis do Saber reformados e um transformado no 1º Farol do Saber e da Inovação; mais que o dobro de crianças com deficiência atendidas; Linhas do Conhecimento com mais de 14 mil participações de estudantes.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)