Escrito em por

pinhais02

 

A Festa da Colheita teve uma programação voltada à valorização das sementes crioulas, o momento também simbolizou a importância do cuidado e respeito à natureza

A Associação Brasileira de Amparo à Infância (ABAI), localizada no município de Mandirituba, é uma instituição que tem como foco a garantia dos direitos básicos de pessoas e comunidades menos favorecidas, dentro de uma proposta educativa, social e ambiental. No dia 28 de março, a ABAI realizou a Festa da Colheita, com a presença dos guardiões mirins das sementes crioulas, que representam um dos projetos da ONG. O município de Pinhais foi convidado a participar da celebração, e uma delegação de nove representantes esteve presente no evento.

Com uma programação voltada à valorização das sementes crioulas, as crianças atendidas pela ABAI representaram a partilha dos alimentos entre Jesus e seus discípulos. O momento também simbolizou a importância do cuidado e respeito à natureza, para que nesta relação entre o ser humano e a terra haja sempre a fartura de alimentos saudáveis. Também houve explicação de como armazenar as sementes crioulas e uma pequena experiência de colheita, em que os grupos puderam debulhar feijão e milho, além do momento de partilha dos alimentos entre os presentes.

A vice-Prefeita de Pinhais participou do momento e enalteceu o trabalho realizado pela instituição. “Foi uma experiência maravilhosa, parabenizo todos os organizadores deste momento. Me fez reviver a infância, porque eu vim da roça, este processo da semente eu vivenciei com meus pais e minhas irmãs, até meus 15 anos, fui boia-fria, então conheço bem esse processo da semente crioula. A agricultura familiar é de extrema importância para manter as famílias no campo e com qualidade. Além disso, mantém a biodiversidade e a qualidade da alimentação”, afirmou Rosa Maria.

Rosa Maria também destaca que Pinhais é um município essencialmente urbano, entretanto, possui políticas públicas para esta área com projetos como o Horta no Quintal de Casa. “Esta é uma iniciativa de grande importância, que demonstra a preocupação que temos em estimular o cultivo e o consumo de produtos orgânicos pela população, além de aproveitar espaços ociosos para a produção de alimentos, plantas medicinais e condimentares”, salientou.

A fundadora da ABAI, Marianne Spiller, agradeceu o fato de Pinhais mostrar interesse e partilhar deste momento tão importante para a instituição. “Que bonito ver esse grupo de pessoas que deixaram Pinhais para vir até a cidade da abelha Manduri”. Marianne destacou a presença de todos àqueles que fazem parte da história da ABAI e especialmente do trabalho realizado pelos guardiões mirins em menção ao respeito e agradecimento à mãe natureza.

Entre os representantes de Pinhais também esteve Ari Frozza, que é membro do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional e engenheiro agrônomo do Departamento de Agricultura e Abastecimento de Pinhais, está à frente do Projeto Horta no Quintal de Casa e um é grande defensor das questões de soberania alimentar. “Estamos presentes aqui com o desafio de poder ampliar esse debate e essa leitura da busca da melhoria da qualidade de vida. No município de Pinhais trabalhamos estas questões com as famílias na discussão do resgate, especialmente, das sementes de hortaliças que são alimentos básicos de todas as famílias. A presença da vice-Prefeita é importante e ela é uma pessoa que tem prestigiado esse trabalho na região, o qual pretendemos ampliar no município de Pinhais. Parabenizamos toda a coordenação da ABAI por esta linda atividade”, declarou.

Cabe destacar ainda que Pinhais foi o primeiro município do Estado do Paraná a criar o Plano Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, além de desenvolver diversos projetos nesta área e manter vivo o debate sobre a importância destas discussões.

A Festa da Colheita contou ainda com a presença da nutricionista da Secretaria Municipal de Educação de Pinhais, Claudia Stadler; da bióloga da Secretaria de Saúde, Natacha Sohn Hausner; da Secretaria de Meio Ambiente, Nirma Nemitz, responsável por projetos como o “Escola 100% reciclável”; os integrantes do Projeto Horta no Quintal de Casa, Jorge Teleginsk, Roseli Barbick Teleginsk e Maurilio de Melo.

Histórico da ABAI

Em 1979, um grupo de amigos brasileiros e suíços sensibilizou-se com a situação da infância no Brasil e iniciou um trabalho em Mandirituba. No mesmo ano, surgiu a Associação Brasileira de Amparo à Infância, sob a coordenação do arquiteto suíço Geraldo Spiller. Em 1980, os mesmos amigos criaram, na Suíça, uma associação de apoio a ABAI, fundada pelo pedagogo Urs Buehler, e entre eles estava uma suíça que adotou, com paixão e emoção, o Brasil e seu povo: Marianne Spiller. O início das atividades ocorreu em um bairro de zona rural habitado predominantemente por pessoas que sobreviviam da agricultura familiar. Neste sentido, desde o princípio, a instituição manteve seu escopo direcionado para a garantia dos direitos básicos de pessoas e comunidades menos favorecidas, dentro de uma proposta educativa, social e ambiental.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)