Escrito em por

governo02

 

O Governo do Paraná mantém 1.723 leitos hospitalares em funcionamento, entre UTIs e enfermarias, para o atendimento exclusivo de pacientes com Covid-19. São 549 leitos de UTI adulto, 37 UTIs pediátricas e 1.137 de enfermaria, dos quais 67 pediátricos.

A estrutura atende todas as macrorregiões do Estado e foi implantada ou aprimorada na rede hospitalar estadual já existente, além de contar com leitos contratados em hospitais particulares e filantrópicos.

A Secretaria de Estado da Saúde também trabalha com a perspectiva de aumentar a disponibilidade para pacientes com o novo coronavírus, dependendo do avanço da pandemia no Estado. Além daqueles já em funcionamento, também se somam mais 2.115 leitos contratados, 631 de UTI e 1.484 de enfermaria, que serão ativados, caso necessário.

De acordo com o último boletim epidemiológico da Saúde, divulgado no domingo (10), a taxa de ocupação dos leitos de UTI da Covid-19 é de 35% no Estado, com 191 pacientes internados. Na enfermaria, o índice é de 19%, com 207 pessoas internadas.

ESTRATÉGIA

A estratégia do Governo, ressalta o governador Carlos Massa Ratinho Junior, é usar a estrutura hospitalar já existente no Paraná, sem que haja a necessidade de construir hospitais de campanha, como acontece em outros estados. Em março, ele anunciou a criação de 1.048 novos leitos – 317 de UTI – para o suporte médico-hospitalar dos pacientes com Covid-19, número que já foi superado.

“O Paraná conta com um sistema de saúde forte e regionalizado, com hospitais de qualidade em diversas cidades. Isso evita que o paciente receba o tratamento longe de sua residência”, diz o governador. “Era um planejamento que já tínhamos para a área da saúde e que foi agilizado por causa da pandemia da Covid-19”, afirma.

A conclusão das obras dos hospitais regionais de Telêmaco Borba (Campos Gerais), Guarapuava (Centro) e Ivaiporã (Vale do Ivaí) foram aceleradas por conta da pandemia. “Trabalhamos com diferentes cenários para garantir o atendimento sem sobrecarregar o sistema de saúde”, destaca o secretário estadual da Saúde Beto Preto.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)