Escrito em por

governo01

 

Ações para a área foram apresentadas pelo diretor-geral do órgão, Cesar Kogut, durante a reunião com o secretariado

O Departamento de Trânsito do Paraná (Detran) vai intensificar as operações e ações educativas para diminuir os números de acidentes no Estado. O tema foi apresentado na reunião da última terça-feira pelo diretor-geral do órgão, Cesar Kogut, durante a reunião da equipe do governo, no Palácio Iguaçu. O encontro foi coordenado pelo governador em exercício Darci Piana.

“Vamos sistematizar a educação para o trânsito para levar esta proposta de maneira mais lógica ao cidadão. Não é apenas distribuir panfletos, mas buscar abordagens para atingir o público de forma mais abrangente”, explicou Kogut. “Todo o cidadão que usa o sistema de trânsito pode mudar seu comportamento para ajudar na redução do número de mortes e feridos em acidentes”, disse.

As abordagens de educação para o trânsito são constantes, com destaque para datas específicas – Semana Nacional do Trânsito, em setembro, e os Dias do Ciclista (19 de agosto), do Motociclista (27 de julho), do Motorista (25 de julho) e do Pedestre (08 de agosto) – ou aproveitando operações especiais e eventos do Governo do Estado, como a Operação Verão, no Litoral do Estado, e o Paraná Cidadão, feira de serviços que acontece nos municípios.

Na próxima semana, uma campanha especial será lançada dentro do Maio Amarelo, movimento internacional de mobilização e conscientização da sociedade sobre o alto índice de mortos e feridos no trânsito.

EFICIÊNCIA

Na reunião do secretariado, o diretor-geral do Detran também destacou o trabalho para levar mais eficiência e diminuição de custos ao órgão. Só nos primeiros 100 dias de gestão, o Detran conseguiu economizar R$ 12,9 milhões com a revogação, revisão e redução de contratos, licitações não viabilizadas, além de cortes nos gastos com a folha de pagamento. A previsão é que a economia chegue a cerca de R$ 21 milhões até o fim do ano.

A ideia é também buscar tecnologias para desburocratizar as ações do órgão. “Muitos processos que eram feitos com cópias físicas, utilizando uma grande quantidade de papel, foram digitalizados. Estamos com ações com os despachantes para digitalizar tudo aquilo que era encaminhado, que geram muitos custos ao despachante e ao Detran”, afirmou Kogut.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)