Escrito em por

luizao 03 COR sem fundo

Prefeito de Pinhais, eleito pelo PT, por dois mandatos consecutivos, 2009/2012 e 2013/2016, Luizão Goulart, que também já assumiu uma cadeira de deputado estadual na Assembleia Legislativa do Paraná, em 2007, por 15 meses, acaba de ser eleito Deputado Federal pelo PRB. Em entrevista concedida com exclusividade a João Aloysio Ramos, diretor do jornal A Gazeta Cidade de Pinhais, Luizão falou de sua trajetória no antigo partido (PT), revelou os motivos de ter disputado a última eleição pela nova sigla (PRB), e ainda respondeu diversas perguntas com relação a seu posicionamento como deputado federal, a partir de 2019, em Brasília. Confira!

 

A Gazeta Cidade de Pinhais: O senhor foi filiado ao PT por aproximadamente trinta anos, partido que lhe projetou politicamente, sendo eleito suplente de deputado estadual, assumindo, no Governo de Roberto Requião, uma cadeira na Assembleia Legislativa do Paraná, em 2007. Depois, em 2008, se elegeu Prefeito de Pinhais, sendo reeleito, em 2012, com uma votação expressiva, quase 94% dos votos válidos. Inclusive, este índice permitiu que o senhor fizesse de sua ex vice-prefeita, a Marli Paulino, sua sucessora. O que fez o senhor tomar a decisão de deixar o partido e disputar uma vaga no Congresso Federal pelo PRB? As denúncias de corrupção que caíram sobre grandes lideranças do PT pesaram muito?

Luizão Goulart: Fui filiado ao Partido dos Trabalhadores por quase 30 anos, onde fiz historia, sempre procurando contribuir para melhoria da nossa sociedade. Assim como o partido foi importante para mim, fui importante para o partido, porque ajudei eleger muita gente e implantei políticas públicas defendidas pelo PT. Procurei sempre fazer a minha parte, seguindo os princípios básicos contemplados no Estatuto. Acredito que, infelizmente, todos os partidos possuem maus exemplos, por isso não condeno a sigla pelo erro de alguns integrantes. Quando meu segundo mandato de prefeito, em Pinhais, chegou ao fim, terminou meu compromisso com o partido. Eu poderia até ter saído antes, mas fiz questão de ficar até o final da administração municipal no partido no qual havia sido eleito. Porém, para lançar candidatura a deputado federal era necessário estar em um partido que me oferecesse boas condições de disputa e certa autonomia para tomar decisões. isso encontrei no PRB. Fui muito bem recepcionado pela direção nacional, e juntos fizemos uma bela campanha, que se tornou vitoriosa. Fui eleito com mais de 140.000 votos, o quarto colocado na eleições do Paraná

A Gazeta Cidade de Pinhais: O senhor acaba de ser eleito Deputado Federal pelo PRB, um partido que apoiou Jair Bolsonaro (PSL), um presidente eleito considerado da direita conservadora. No entanto, toda sua história política, até as últimas eleições, foi escrita no PT, um partido de esquerda, com pensamentos que se contrapõem aos do futuro presidente, e do próprio PRB. Qual a sua expectativa para o Governo Bolsonaro? e como pretende lidar com essas diferenças ideológicas?

Luizão Goulart: O PRB foi durante muito tempo aliado do PT. Inclusive, o José Alencar, um dos fundadores do PRB, foi vice do Lula, e o partido foi base nos dois mandatos do ex-presidente petista e,também, no primeiro mandato da Dilma. Na verdade, o PRB não apoiou oficialmente o Bolsonaro. No primeiro turno o partido fez parte do “Centrão”, na coligação do candidato Alkimin. Já no segundo turno, a direção nacional do partido decidiu liberar seus filiados em relação aos candidatos na disputa. Acho que foi uma boa estratégia, já que estávamos passando por uma eleição muito conturbada. Agora é diferente, a eleição acabou e temos que pensar no que é melhor para o Brasil. Espero que a paz prevaleça e que as diferenças ideológicas não interfiram negativamente no progresso do País. A partir de fevereiro do ano que vem, assumo meu mandato como deputado federal em Brasília e lutarei por projetos que contemplem toda população. Vou dar minha contribuição para que tenhamos um Brasil melhor, com crescimento e geração de empregos. Sempre vou reconhecer a atenção e o apoio que o Governo Lula deu aos municípios na época em que fui prefeito de Pinhais. Foram muitos os projetos e as obras que beneficiaram e continuam beneficiando a nossa população, sou muito grato por isso. Espero, sinceramente, que o Brasil volte a crescer e gerar mais oportunidades para o povo, como já vivenciamos em outros momentos.

A Gazeta Cidade de Pinhais: No campo político, em Brasília, a partir de 2019, por ter sido do PT e participado ativamente das campanhas presideciais de Lula e Dilma, e, agora, pelo menos, teoricamente, por força da coligação majoritária, tenha estado do lado de Bolsonaro, penso que o senhor deva estar em uma situação delicada. Então, pode me dizer se será base, votando em bloco com o PRB, se posicionará de forma independente, ou adotará uma postura de oposição, seguindo os caminhos de seu antigo partido, o PT, que já declarou estar construindo uma frente de resistência ao futuro Governo?

Luizão Goulart: Mesmo estando no PRB, muitos filiados do PT ainda votaram em mim, e sou grato por essa confiança. No entanto, muitos disseram que não votariam porque eu tinha saído do partido. Porém, a maioria de meus eleitores acreditou no trabalho que realizei como prefeito de Pinhais, além da contribuição que posso dar para o desenvolvimento de outros municípios, em especial da Região Metropolitana. Vou defender o melhor para o país. Temos pautas importantes para serem analisadas e votadas no Congresso. É importante que prevaleça a coerência. Independente de divergências partidárias, vou apoiar projetos e ações que contemplem diretamente a população. Não quero entrar em polêmicas, terei um posicionamento republicano e racional.

A Gazeta Cidade de Pinhais: Entre os muitos projetos polêmicos que deverão ser votados na Câmara Federal estão a Ideologia de Gêneros, a Reforma da Previdência e a liberação do porte de armas para alguns setores da sociedade. O senhor já tem opinião formada sobre esses assuntos?

Luizão Goulart: No momento, precisamos concentrar esforços no crescimento e geração de empregos, não em projetos polêmicos. Precisamos de uma postura democrática e justa do Poder Legislativo Federal. Em relação a reforma da Previdência, por exemplo, sabemos que ela precisa ser feita, mas tem que ser levado em consideração todas as categorias. Não é aceitável, a meu ver, um trabalhador da iniciativa privada, o trabalhador rural, por exemplo, ser prejudicado em sua aposentadoria, enquanto algumas categorias do setor público mantem seus privilégios com o sacrifício de toda sociedade. Já em relação a outros projetos mais polêmicos, vou esperar a tramitação, analisar caso a caso para que, aí sim, possa me posicionar a respeito. Também vou sempre ouvir minha base de apoio, pois sou porta vós dos meus eleitores.

A Gazeta Cidade de Pinhais: Agora, falando de Paraná, durante a campanha o senhor caminhou ao lado de Ratinho Júnior (PSD), eleito para governar o Paraná a partir de 2019. Como pretende ajudar o estado, em especial Pinhais, Piraquara e Curitiba, que lhe confiaram votação expressiva?

Luizão Goulart: Tenho boas perspectivas com relação ao Governo de Ratinho Junior, acho ele muito preparado para fazer um bom trabalho pelo Paraná, e darei meu apoio e minha contribuição pelo sucesso de sua gestão. Já conversei com ele várias vezes sobre o desenvolvimento da Região Metropolitana de Curitiba. A quase totalidade da votação que recebi foi de Curitiba e Região Metropolitana. Serei um defensor incansável dessa região, pois conheço muito bem a realidade dos nossos municípios. Vamos trabalhar por políticas de integração, pensando na melhoria da saúde, segurança pública, transporte coletivo. Além disso, precisamos de grandes intervenções em infraestrutura para melhoraria das ligações viárias entre as cidades. Acredito que com nosso trabalho em Brasília e a parceria do Governo do Estado, poderemos ajudar muito nossa população.

A Gazeta Cidade de Pinhais: Com relação a Pinhais, município que o senhor, enquanto prefeito, transformou radicalmente, tirando-o de um quase anonimato-era visto como um bairro de Curitiba- e colocando-o entre os dez mais importantes do Paraná, tanto no que diz respeito a desenvolvimento econômico, de infraestrutura e social. E, agora, como assessor especial da Prefeita Marli, continua prestando relevantes serviços à cidade, inclusive com apoio de uma equipe de Secretários que vem desde o seu primeiro mandato, em 2009. Como vai ficar Pinhais, agora, com a sua ida para Brasília? O senhor pretende levar junto o grupo político, ou parte dele, que lhe ajudou e, ainda, ajuda a fazer de Pinhais uma das melhroes cidades do Paraná para viver e empreender?

Luizão Goulart: Como Deputado Federal, quero ajudar muito a minha cidade, pois tive mais de 70% dos votos de Pinhais para deputado. Vou trabalhar pelo sucessso da administração da Marli Paulino e Rosa Maria. Tenho muito orgulho de ter feito em Pinhais a administração mais bem avaliada do Brasil, com uma excelente equipe de Secretários e servidores muito comprometidos, que continuam o trabalho sob a liderança da prefeita e da vice, sempre com o apoio dos vereadores. Vou continuar acompanhando de perto e apoiando a administração. O trabalho no Legislativo é bem diferente do Executivo, e ainda estou estudando a formação da equipe. Em Brasília, pretendo utilizar profissionais com experiência na função, especialmente, para não ter que levar gente daqui.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)