Escrito em por

curitiba02

 

A Caixa Econômica Federal vai financiar R$ 250 milhões para Curitiba, recursos que serão usados em vários projetos, como na construção da Rua da Cidadania da CIC e do Engenho de Inovação, de infraestrutura urbana, como pavimentação, calçamento e ciclovias, além de saneamento, drenagem e mobilidade urbana.

“É um presente de Natal para Curitiba, que foi conquistado graças ao Plano de Recuperação, que retomou o equilíbrio das contas públicas e permitiu a cidade a voltar a investir”, disse o prefeito Rafael Greca.

Com o recurso, será possível avançar em várias frentes em 2020. “Vamos construir o Engenho de Inovação no Moinho Rebouças, que será o primeiro edifício inteligente público de Curitiba, a drenagem superficial para prevenção de enchentes, calçadas e asfalto sobre saibro”, ressaltou o prefeito.

A operação com a Caixa é considerada a melhor do ano – entre taxas e condições – para financiamento desse porte entre os grandes municípios brasileiros. O prazo de financiamento é de 10 anos.

Para o secretário de Planejamento, Finanças, e Orçamento, Vitor Puppi, o financiamento atesta o bom momento fiscal do município. Pelo segundo ano consecutivo a cidade obteve a nota máxima – A – no Indicador de Liquidez da CAPAG (Capacidade de Pagamento) elaborado pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN), o que assegura o aval da União em operações de crédito. Em 2016, neste mesmo ranking, Curitiba estava com a nota C e ocupava a última posição entre as capitais brasileiras.

“Esse é um bom indicador da condição fiscal do município e sua capacidade de honrar seus pagamentos”, disse Puppi.
Graças às medidas adotadas nos últimos dois anos, a Prefeitura quitou dívidas herdadas de outras gestões, como o contrato da coleta de lixo, ampliou investimentos e começou a colocar em prática projetos importantes, como o Fundo de Inovação, de R$ 10 milhões, que vai, a partir de 2020, financiar iniciativas empreendedoras e startups curitibanas.

Investimentos

Curitiba contabiliza uma carteira de quase R$ 1 bilhão em investimentos em dois anos. São R$ 956,3 milhões em obras e projetos. Além disso, estão sendo captados recursos para o projeto Bairro Novo do Caximba, com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), no valor de R$ 164 milhões, e de R$ 406 milhões com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para o projeto da Linha Direta Inter 2. Outros R$ 15 milhões, também com a Caixa, serão destinados ao Programa Avançar Cidades – Mobilidade Urbana

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)