Escrito em por

curitiba02

 

A Prefeitura promoveu no dia 26, quarta-feira, na Praça Rui Barbosa, mais um mutirão para atendimento à população em situação de rua, desta vez com novos serviços, como corte de cabelo para mulheres e entrega de kits de higiene e de óculos (armação e lente) para quem tem problemas de visão.

O Mutirão Curitiba Que Não Dorme é coordenado pela Fundação de Ação Social (FAS) e acontece sempre na última quarta-feira de cada mês. Das 9 às 15 horas, servidores do município e voluntários fizeram 1.470 atendimentos em várias áreas.

Quem passou pela praça pode fazer cadastro para recebimento de benefícios sociais, ser encaminhado para serviços da assistência social – como acolhimento, documentação, passagem de ônibus para retorno ao município de origem -, procurar vaga de emprego, cortar o cabelo, medir a pressão arterial e fazer teste de glicemia.

No Expresso Solidariedade, foram servidos 620 cafés da manhã e almoços, e nos ônibus Intervidas e Lilás as pessoas receberam informações sobre combate às drogas e sobre violência contra a mulher.

Dependentes químicos que aceitaram tratamento foram encaminhados para comunidades terapêuticas.

No mutirão, até mesmo os cachorros das pessoas em situação de rua recebem atendimento especial, feito pela equipe da Rede de Proteção Animal, da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Os animais passam por avaliação clínica, recebem vermífugo, antipulga e um chip. Todos são cadastrados para castração.

Projeto de vida

“No Mutirão Curitiba Que Não Dorme não ofertamos apenas serviços, oferecemos a possibilidade para que as pessoas deixem as ruas e consigam fazer novos projetos de vida. Em Curitiba, todas as pessoas recebem apoio e ninguém precisa ficar na rua”, disse o presidente da FAS, Thiago Ferro.

Ao passar pela Rui Barbosa, o aposentado João Carlos foi atraído pela movimentação e parou para saber o que estava acontecendo. Ele tirou fotos e parabenizou a equipe pela ação, principalmente pelo Expresso Solidariedade, que oferece espaço adequado para que grupos voluntários sirvam alimentos para a população que vive em situação de rua. “Estamos de parabéns, cada vez mais me orgulho de ser curitibano”, disse.

Os amigos Willian Silvino Martins dos Santos, 25 anos, e Eduardo Santana da Costa, 19, foram juntos ao mutirão. Desempregado e em situação de rua há um mês, Willian sonha com um novo emprego. “Sou carpinteiro, mas fiquei desempregado e não tive mais como pagar aluguel”, contou o rapaz que tem dormido em um abrigo da FAS até que volte ao mercado de trabalho.

Eduardo também foi ao mutirão em busca do primeiro emprego e de uma consulta oftalmológica. Há mais de dois anos em situação de rua, ele dorme na casa de passagem Plínio Tourinho e disse que sem o apoio da FAS a vida seria mais difícil.

Parceiros

O mutirão social reúne serviços de sete secretarias municipais (FAS, Fundação Cultural, Meio Ambiente, Defesa Social, Saúde, Esporte, Lazer e Juventude, Assessoria de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres).

Entre os voluntários estão a Cruz Vermelha, a MedPrev, o Instituto dos Óculos, a rede de farmácias Descontão (que ofereceu o kits de higiene com desodorante, sabonete, escova e pasta de dente), comunidades terapêuticas e as igrejas Sara Nossa Terra, Quadrangular, Assembleia de Deus, Metodista, Batista e ABBA.

Em julho, o mutirão passará a oferecer também atendimento odontológico.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)