Escrito em por

governo02

 

Caravana com ações do projeto percorreu cerca de 10 mil quilômetros e passou por 43 municípios para promover a prevenção, a conscientização e a atenção à saúde da mulher.

Os municípios de Guaratuba, Matinhos, Altônia e Terra Roxa foram os últimos a receber a caravana Paraná Rosa, que passou por 43 municípios para promover a prevenção, a conscientização e a atenção à saúde da mulher. Executado pela Secretaria de Estado da Saúde, em parceria com a Secretaria da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf), o projeto idealizado pela primeira-dama Luciana Saito Massa cortou o Paraná percorrendo cerca de 10 mil quilômetros.

Aproximadamente 40 mil pessoas foram mobilizadas e passaram pelos locais dos eventos. O Paraná Rosa realizou 1.241 coletas de exames de colo de útero, 1.136 agendamentos de mamografia, 7.076 testes rápidos de hepatite, HIV e sífilis, 671 testes de glicemia, 1083 aferições de pressão arterial e 190 vacinas. A população pôde ainda participar de ações como maquiagem, corte de cabelo, palestras de profissionais da área de saúde, orientações nutricionais e atividades físicas.

Em Guaratuba, o evento começou com uma caminhada que saiu da praia até o local do evento, na praça central. Além de exames e orientações para o cuidado da saúde, as mulheres puderam cortar o cabelo, fazer maquiagem e acompanhar apresentações de dança.

O prefeito da cidade, Roberto Justus, ressaltou a importância de Estado e município trabalharem juntos em prol da população. “Foi graças a essa parceria com o Governo que pudemos alcançar essa proporção dentro do Estado. Me sinto honrado e feliz por Guaratuba e o Litoral estarem na agenda do Paraná Rosa.”

Em Matinhos, o espaço selecionado foi a Escola Municipal Luiz Carlos dos Santos. “Escolhemos esse local porque acreditamos que a política pública precisa chegar onde a comunidade está. Esse é um bairro que contempla uma população bem grande do município, onde fica uma das maiores unidades básicas de saúde, e essa foi a proposta, trazer essa ação para dentro da comunidade”, disse o secretário municipal de Saúde, Claudir Lourenço.

O prefeito de Matinhos, Ruy Hauer Reichert, ressaltou que as mulheres merecem toda a atenção e cuidado com a saúde. “Hoje iremos realizar exames preventivos de câncer do colo de útero e ainda irá acontecer os agendamentos para a realização de mais preventivos e também de mamografias. As mulheres merecem um evento como este, com o foco integral na sua saúde”, disse.

Como madrinha do projeto, Luciana Saito Massa esteve em grande parte dos eventos e falou sobre o trabalho conjunto com os municípios. “Eu sempre imaginei fazer uma campanha que fosse humanizada, não focando só na mamografia em si, mas mostrando a importância em aliar atividade física a uma boa alimentação, focando na qualidade de vida”, disse a primeira-dama. “Eu rodei o Estado inteiro e achava que levaríamos a informação para quem mais precisa, mas percebi que quem sai com mais conhecimentos dessa ação não é apenas a população, mas sim todos os envolvidos que trabalharam para isso acontecer”.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, também destacou a importância desse trabalho e da regionalização do atendimento a população. “O saldo do Paraná Rosa foi muito positivo para aproximar ainda mais as mulheres ao cuidado de sua saúde, esse é um dos principais objetivos do Governo. Durante todo o mês de outubro estivemos mais perto das pessoas que precisam de atendimento”. De acordo com ele, o objetivo do projeto foi cumprido. “Independente do mês da conscientização sobre o câncer de mama e de colo de útero, esse atendimento está disponível pelo SUS durante o ano todo”.

Segundo Maria Goretti David Lopes, diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da secretaria estadual, o Paraná Rosa foi uma inovação no atendimento regionalizado. “Nós da saúde inovamos com o Paraná Rosa porque chegamos perto das pessoas, porque atendemos em conjunto com as equipes dos 43 municípios. Conseguimos estabelecer a relação de diálogo e de confiança na perspectiva da promoção e da prevenção da saúde, especialmente da saúde das mulheres e da prevenção do câncer de mama e de colo de útero”.

O diretor da 1ª Regional de Saúde, Carlos Abreu, acrescentou que encerrar o Paraná Rosa no Litoral mostra preocupação desse Governo em estender as ações de saúde efetivamente para a região, acabando com uma marca histórica de que lá existe um vazio assistencial. “O Paraná está de parabéns por essa ideia inovadora e importante de se transformar no Estado Rosa, fazendo com que a saúde se expresse no seu conceito mais amplo, que não é só o cuidar da doença, mas também da promoção e da prevenção”.

ATENDIMENTOS

Marlene Euco Correia, de 66 anos, que participou do projeto em Guaratuba, disse que eventos como este fazem com que a mulher fique atenta para a própria saúde. “Esse tipo de campanha faz com que nós, mulheres, despertemos para o cuidado com a nossa saúde. Muitas vezes cuidamos da família inteira e vamos nos deixando para depois. Somos o pilar do lar, não podemos nos descuidar.”

Carmem de Oliveira, de 57 anos, moradora de Matinhos, agendou mamografia para a próxima semana. “Eu sempre faço meus exames com regularidade, pois tenho casos de câncer de mama na família, por isso não posso deixar de observar o meu corpo e cuidar da minha saúde.”

EXAME

O exame é de fácil acesso e está disponível o ano todo pelo SUS. “O Outubro Rosa dá destaque à causa, mas a prevenção deve ser feita o ano todo, a vida toda. A prevenção ainda é o melhor remédio, pois se descoberto no início as chances de cura do câncer são muito grandes”, alerta o secretário Beto Preto.

A mamografia deve ser realizada a cada dois anos em mulheres de 50 a 69 anos. Fora dessa faixa etária e periodicidade, o exame é recomendado somente para mulheres com sinais ou sintomas de câncer de mama, como nódulo, retração do mamilo e outros, ou com histórico familiar em parente de primeiro grau, como mãe, irmã ou filha.

Em relação ao câncer de colo de útero, a recomendação é que seja feito em todas as mulheres que já iniciaram a vida sexual. Os dois primeiros exames com intervalo de um ano e, se os resultados forem normais, os próximos podem ocorrer a cada três anos.

NÚMEROS

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) em 2018 o Brasil registrou 59,7 mil novos casos de câncer de mama. No Paraná foram 3.730 casos no anos passado.

Até junho deste ano, o Estado realizou 144.409 mamografias e 295.676 exames preventivos de colo de útero. Para oferecer os testes, o Paraná conta com 179 mamógrafos SUS distribuídos nas 22 Regionais de Saúde.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)