Escrito em por

blitz_maio_amarelo-3993

 

A Guarda Municipal de Pinhais completa dez anos de implantação em Pinhais. Desde então, a rotina da cidade mudou para melhor, a partir da presença e atuação do efetivo nas ruas. De um município reconhecido como de alta criminalidade na Grande Curitiba, Pinhais passou à referência quando se trata de atuação da Guarda Municipal.  Em entrevista à Gazeta Cidade de Pinhais, o Superintendente da Guarda Municipal de Pinhais, Dourival Selbach Júnior, há quase dois anos no comando do efetivo, conta detalhes de todo o trabalho que tem sido realizado em parceria com as polícias.

guardas_municipais_foto_roberto_dziura_jr-5909

A Gazeta Cidade de Pinhais: Em dez anos de implantação da Guarda Municipal no município, quais aos avanços trazidos à segurança pública?

Dourival Selbach Júnior: Até a implantação da Guarda, em maio de 2009, Pinhais era conhecida como um município de altos índices de violência e criminalidade, em especial, em relação às taxas de homicídio. Caíram drasticamente as taxas de homicídio. A maioria era em razão do tráfico de drogas, acertos de contas. A entrada da segurança pública municipal, logicamente, atemoriza os criminosos, que acabam migrando para outras localidades onde há menos atuação do poder público em segurança pública. Pinhais deixou de ser um dos municípios de maior criminalidade na Grande Curitiba. Em números, isso se traduz, num comparativo entre 2011 a 2018, em 46% a menos em roubos; 47,5% a menos em ocorrências relativas à Lei Maria da Penha; em uma diminuição de 43,3% do porte ilegal de armas e disparos de armas de fogo; uma diminuição de 20% nos casos de furtos; de 43,3% nos casos de danos ao patrimônio e em 86% a menos em crimes de lesão corporal. Notemos que houve um aumento das ocorrências relacionadas ao tráfico de drogas, com um acréscimo de 180% e do porte ou uso de substâncias entorpecentes, de 2%, demonstrando que a Guarda está atuante e presente no combate a esse tipo de crime, o que antes não era notificado. Conseguimos reverter esse quadro de alta criminalidade com um trabalho que logo já obteve apoio do Central de Monitoramento com câmeras de vigilância, implantado em 2010. Um aparato fundamental, a partir da vigilância de 45 câmeras. Atualmente, já são 50 câmeras. Além das câmeras em teste para identificação de placas de veículos nos logradouros das ruas, somando cerca de 190 câmeras, em uma parceria com a iniciativa privada, em áreas de segurança interna e externa. Com isso, houve um incremento muito grande na vigilância por imagens, o que tem sido decisivo para o enfrentamento à criminalidade.

 

A Gazeta: O aplicativo 153 Cidadão, lançado neste ano, tem colaborado para uma melhor atuação da Guarda?

Selbach: Com certeza. O aplicativo conecta o efetivo ao cidadão, ampliando a relação e parceria com a comunidade, permitindo maior agilidade na chamada das viaturas, em atendimento às ocorrências, e em comunicação com a Central. E no tocante aos casos relacionados à Lei Maria da Penha e aplicação das medidas protetivas tem sido de enorme utilidade. Basta tocar no botão do aplicativo por cinco segundos que este emite um aviso à Guarda de que a mulher encontra-se em perigo, não necessitando escrever nada. É um aviso importantíssimo à Guarda, permitindo que possamos atender a vítima o mais rápido possível. O cidadão pinhaiense tem aderido ao aplicativo, temos obtido uma crescente de adesões muito significativa. Tem sido muito útil, inclusive para ocorrências de abuso às mulheres dentro de transportes públicos, também, vale ressaltar.

 

A Gazeta: Como se dá a parceria da Guarda com a Polícia Militar e a Polícia Civil?

Selbach: Desde que a Guarda foi implantada, essa parceria já foi iniciada. Inclusive, a Central de Monitoramento da Guarda fica ao lado da sede da Polícia Militar, facilitando a comunicação, a troca de informações. A parceria entre as polícias em Pinhais é referência a outros municípios. A junção de esforços, também com a Polícia Civil, faz toda a diferença. Recentemente, por exemplo, fechamos um estabelecimento em razão de seu uso para tráfico de drogas. Houve uma denúncia anônima para nós. Fomos ao local junto com a Polícia Civil e lá constatou-se uma quantidade expressiva de cocaína. Enfim, a parceria é de suma importância. Já houve trocas de comando da Guarda, trocas de delegado, trocas de comando da PM no município, mas, a parceria permanece. Pois, consolidou-se desde o início da Guarda.

 

A Gazeta: Quais os principais desafios no combate à criminalidade, atualmente?

Selbach: Conseguimos diminuir drasticamente os homicídios, principalmente, por tráfico de drogas. Atualmente, os desafios são os roubos de veículos, pois Pinhais é local de passagem para municípios vizinhos e para rodovias, então, torna-se mais atraente roubá-los por aqui. Os assaltos e roubos, principalmente, ao comércio, também. Mas, temos efetuado uma junção das forças policiais no município, em parceria com as polícias, para combatê-los. Temos realizado diversas apreensões e flagrantes, a exemplo das lojas Americanas, das lojas Colombo e outras, com captura imediata dos criminosos.

 

A Gazeta: No mês de dezembro, quando aumenta o movimento no comércio, haverá alguma operação especial?

Selbach: Certamente. Faremos a Operação Natal nas áreas comerciais da cidade, como a Avenida Iraí e a Avenida Jacob Macanhan. Inclusive, em alguns dias da semana, faremos o patrulhamento a pé, o que produz um efeito de inibição à criminalidade muito maior, pela presença muito próxima dos guardas.

 

A Gazeta: Como é feita a distribuição da atuação do efetivo por todo o município?

Selbach: Dividimos o número de guardas por quadrante, por setores. Cada setor engloba três ou quatro bairros. Em todos os setores há viaturas de apoio, as motocicletas. Estas garantem mais agilidade. A cada setor tem uma viatura, ao menos. A Rodovia João Leopoldo Jacomel está fechada em seu eixo de passagem, então, para cada lado da Jacob e da Camilo Di Lellis, do lado de cá e do lado de lá, há uma viatura. Também realizamos as chamadas saturações, que é quando intensificamos o bloco de viaturas, a partir de um aumento da presença do efetivo, temporariamente, favorecendo eventuais abordagens. Na Avenida Iraí e na Vargem Grande, por exemplo, elas são feitas, além de outras regiões. Essas saturações são feitas por tempo determinado, sem avisos prévio, obviamente, para não prevenir os criminosos, alterando-se as regiões da cidade.

 

A Gazeta: Qual o número de guardas que compõem o efetivo, atualmente?

Selbach: O efetivo é de 80 guardas, mas estamos com uma defasagem de seis. Então, são 74 guardas. A Prefeitura lançou edital para realização de concurso público com a abertura de cinco vagas. Os exames físicos dos aprovados foram realizados nos últimos dias 16 e 17 de novembro. Acredito que, até março de 2020, após cumpridas todas as etapas do chamamento, como exames de saúde, testes físicos e psicológicos, os novos guardas estarão atuando nas ruas.

 

A Gazeta: E quanto aos furtos e assaltos nos pontos de ônibus, a exemplo de telefones celulares, como a Guarda tem combatido?

Selbach: Houve uma boa diminuição desses pequenos delitos e assaltos nos pontos de ônibus, que ocorriam nos horários de ida ao trabalho, como no início da manhã. Iniciamos a operação ‘Bom dia, Pinhais’, intensificando o patrulhamento nesses horários nos pontos de ônibus e terminais.

 

A Gazeta: Quais os bairros mais desafiadores em relação à criminalidade?

Selbach: Os bairros mais afastados, pelo fato da fuga do meliante ser facilitada. Temos feito uma parceria muito grande com as polícias a fim de combater a criminalidade, aliás, combatendo as bocas de fumo, por exemplo, pois, não raro, usuários são usados pelos traficantes de drogas.

 

A Gazeta: Qual o número de viaturas e de módulos da Guarda em todo o município?

Selbach: Atualmente, diariamente são utilizadas seis motos, módulo móvel e mais quatro viaturas. Criamos os módulos móveis, que são itinerantes, um expediente de suporte que facilita a obtenção de informações. E temos os módulos fixos: no final da Jacob Macanhan; na Avenida Iraí, perto da Rua Paraná; no Maria Antonieta, próximo à saída da Rodovia e o módulo-base, no Centro, na sede da matriz da Guarda. É importante ressaltar que a Prefeitura também sempre investe em equipamentos e armamentos como, coletes, munições e pistolas. A Prefeitura vem dando um suporte muito bom. Uma nova licitação para compra de viaturas está sendo encaminhada para dezembro próximo, para estarem à disposição em 2020.

 

A Gazeta: Em relação a treinamentos e capacitação da Guarda, o que o senhor destacaria?

Selbach: A Guarda Municipal de Pinhais tem sua metodologia de trabalho que envolve constantes treinamentos, qualificação e capacitações. O guarda deve ser treinado para saber atuar dentro de limites, a fim de não gerar danos a si e aos outros. Isso envolve treinamentos e capacitação. São 80 horas a mais durante o ano para a toda a corporação, em treinamentos. Além das equipes especiais, que passam por treinamentos mensais. A nossa Guarda conta com um know-how muito grande. Inclusive, há guardas credenciados pela Polícia Federal, que fizeram provas com a PF, provas escrita e técnica, com uso de armamentos. Há três guardas nossos que obtiveram esse credenciamento. E trata-se de provas bastante difíceis as realizadas pela Polícia Federal. Também, há um forte investimento em formação de instrutores, com capacitação específica. Os instrutores formados tornam-se multiplicadores de formação de novos guardas. Enfim, há um suporte de alta qualidade em formação e capacitação à nossa Guarda Municipal.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)