Paraná tem a segunda menor taxa de desemprego do País, mostra IBGE

 

O Paraná encerrou o terceiro trimestre de 2015 com a segunda menor taxa de desocupação do País. Entre julho e setembro, o índice estava em 6,1%, maior apenas do que Santa Catarina, com 4,4%. Os dados são da Pesquisa por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua e foram divulgados na terça-feira (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“A economia paranaense termina o ano em grande contraste com a situação de crise nacional. Aqui o pior já passou. Tenho absoluta convicção de que 2016 será bem melhor para os paranaenses do que 2015”, disse o Governador Beto Richa. “Estamos trabalhando com muito afinco para retomar níveis de crescimento mais altos”.

CONSISTENTE

O desemprego no Estado registrou ligeira queda em relação ao segundo trimestre (6,2%) e ficou bem abaixo da taxa brasileira, que registrou, no mesmo período, 8,9%

“Recebemos esta notícia com entusiasmo. Os números da pesquisa mostram que, ap (…)


Câmara de São José dos Pinhais – 24/11/2015

 

CPI das imobiliárias auxiliou na permanência de mais de mil famílias em seus lares

Documentos e informações coletadas pela Comissão foram utilizados em processo que suspendeu as reintegrações de posse.

cmsjp01

Concluída em junho deste ano, a CPI das imobiliárias da Câmara Municipal contribuiu para que mais de mil famílias permanecessem em seus lares. A informação foi repassada pelo ministério público de São José dos Pinhais aos vereadores componentes da Comissão: Luiz Paulo, Professor Abelino, Gilberto Mello, Tadeu Camargo e Alberto Setnarsky.

A CPI verificou, durante oito meses, casos de especulação imobiliária e fatos relativos a conflitos na negociação entre moradores que adquiriram lotes e imobiliári (…)


Câmara Municipal de Curitiba – 23/11/2015

 

Emendas parlamentares dão destino a R$ 36 mi do orçamento

cmc01

Foto: Andressa Katriny/CMC

Foram admitidas na terça-feira (24), pela Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização da Câmara Municipal, as 491 emendas parlamentares ao projeto de Lei Orçamentária Anual para 2016 (LOA 2016).

Os valores somados chegam a R$ 36 milhões, uma quantia R$ 9,56 milhões superior ao pactuado com a Prefeitura de Curitiba para a destinação de emendas dos vereadores.

No parecer favorável ao projeto de lei orçamentária, Bruno Pessuti (PSC), Presidente da Comissão, inclusive faz uma ressalva ao plenário – que votará as emendas no dia 8 de dezembro – pedindo para que não sejam aprovadas aquelas que tenham ultrap (…)


Primeira consulta ginecológica: especialista esclarece as principais dúvidas

por Natalia Galluzzi / dezoitocom

Girl and mother at doctors office

Ocasião deve ser encarada como uma oportunidade para esclarecer dúvidas e verificar se o desenvolvimento do corpo está ocorrendo de forma adequada

Comparecer a uma consulta ginecológica pela primeira vez pode ser um desafio para muitas jovens. Geralmente, este momento ocorre após a primeira menstruação – época marcada pela transição da infância para a vida adulta, em que diversas transformações ocorrem no corpo. Tudo isso pode ser uma grande novidade para a maioria e, no início, é normal que haja uma dificuldade e insegurança para lidar com essa fase.

Apesar da apreensão, que é completamente normal, a primeira consulta deve ser encarada com (…)


Atenção plena ou piloto automático

por Cristiana Silva Lustoza de Almeida

Em meu antigo consultório tinha um adesivo na parede com um poema do Fernando Pessoa. Eventualmente alguns de meus pacientes entravam na sala e diziam: Nossa que legal! É novo? Eu respondia: Está aí desde o primeiro dia de consulta!

Eles geralmente se assustavam, porque afinal passavam ao menos uma hora da semana naquela pequena sala e nunca haviam notado inúmeros detalhes dela.

Funcionamos mais de 50% do tempo no “piloto automático”, executamos ações sem perceber realmente o que estamos fazendo. É claro que para algumas coisas isso é extremamente funcional, o nosso cérebro tem mecanismo de “economia” que insere nesse modo automático algumas atividades repetitivas do dia a dia como, por exemplo, dirigir. Isso nos poupa tempo e energia de ter que sempre reaprender algo que já foi inserido em nosso repertório. Porém, como diferenciar aquilo que deve do que não deve virar “automático”?

A prática do m (…)